Rubens Chiri/saopaulofcnet
Rubens Chiri/saopaulofcnet

Contraprova de Carneiro testa positivo, e São Paulo suspende contrato

Atacante uruguaio testou positivo para a presença da substância benzoilecgonina, um metabólito da cocaína

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2019 | 19h15

O exame de contraprova realizado pelo atacante Gonzalo Carneiro testou positivo para a presença da substância benzoilecgonina, um metabólito da cocaína. Com isso, o São Paulo suspendeu o contrato com o uruguaio por doping.

Carneiro estava suspenso preventivamente pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) após ser flagrado em exame antidoping. Desde que foi notificado em abril, o atacante estava proibido de frequentar o CT da Barra Funda e sem receber salários.

Carneiro foi pego no exame realizado no jogo contra o Palmeiras no Pacaembu, na primeira fase do Campeonato Paulista, no dia 16 de março. O São Paulo perdeu por 1 a 0 com atuação do uruguaio nos 90 minutos. 

Com a confirmação da contraprova, divulgada inicialmente pelo site do Globo Esporte, o atacante terá uma audiência para dar a sua versão. Em seguida, o julgamento do caso é marcado pelo Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD-AD). Todo o processo deve demorar mais de seis meses.

O atacante uruguaio pode ficar até dois anos afastado do futebol, segundo o Código Brasileiro Antidoping. Foi essa a suspensão recebida por Diogo Vitor, do Santos, a última punição que aconteceu por uso de cocaína no Brasil.

O atacante foi contratado pelo São Paulo em abril do ano passado com contrato até 31 de março de 2021. O clube do Morumbi pagou ao Defensor Sporting, do Uruguai, 800 mil dólares (R$ 2,6 milhões à época) por 50% dos direitos econômicos do jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.