Dhavid Normando/Divulgação
Dhavid Normando/Divulgação

Contraprova do antidoping de Deco também dá positivo

Fluminense informou que o meia já procurou um advogado e não jogará contra o Botafogo

AE, Agência Estado

03 de maio de 2013 | 20h05

RIO - A contraprova do exame antidoping no meia Deco também deu positivo para a substância Furosemida, encontrada no teste realizado após o jogo entre Fluminense e Boavista, em 30 de março, pelo Campeonato Carioca. Com isso, ele deve ser suspenso preventivamente, até que seja julgado pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Rio (TJD-RJ). O experiente jogador de 35 anos, que se recuperou recentemente de lesão, já não vem sendo relacionado pelo clube carioca desde o resultado do primeiro exame.

Em nota, o Fluminense informou que Deco contratou um escritório de advocacia que não presta serviços ao clube. "Desde o primeiro momento em que conheceu a ocorrência, o Fluminense colocou à disposição do atleta os serviços dos escritórios contratados pelo clube, que atuam há muitos anos no campo do Direito Desportivo Nacional e Internacional, com sucesso comprovado", informa o comunicado. "Atento aos seus interesses, o Fluminense continuará a acompanhar o caso através dos seus advogados, sem prejuízo ao desejo do atleta de contar com uma atuação independente."

O diretor executivo do Fluminense, Rodrigo Caetano, informou que não há nenhuma possibilidade de escalação de Deco contra o Botafogo, neste domingo, na final da Taça Rio. "Não tem nem cabeça para isso. Precisamos preservar o jogador e o ser humano", disse o dirigente.

Em comunicado distribuído na última quarta-feira, depois da divulgação do resultado positivo do exame antidoping - e antes da contraprova -, Deco disse ser inocente e explicou que a substância pode ter aparecido em seu organismo por causa do consumo de uma vitamina. Ele prometeu "ir até o fim" para esclarecer a situação. "Sempre tomei vitamina e jamais fiz uso de algo ilícito. São 18 anos de carreira e 15 anos na Europa sem qualquer problema", afirmou o jogador na ocasião.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseDecodoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.