Vitor Silva/Botafogo
Vitor Silva/Botafogo

Contrariado e em situação delicada na Taça Rio, Botafogo encara Cabofriense

Time alvinegro precisa vencer para se manter vivo na disputa pela segunda vaga nas semifinais

Redação, Estadão Conteúdo

28 de junho de 2020 | 09h31

Sem esconder a sua contrariedade por voltar a campo de forma tão abrupta, o Botafogo enfrenta a eliminada Cabofriense, neste domingo, às 11 horas, no Engenhão pela quarta rodada da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca.

A situação do Botafogo é delicada no Grupo A, com quatro pontos em três jogos. Por isso, precisa vencer para se manter vivo na disputa pela segunda vaga nas semifinais. O Boavista é vice-líder com sete pontos em quatro jogos e o Flamengo, já classificado, lidera com 12 pontos. De outro lado, o time de Cabo Frio, perdeu seus três jogos e não tem mais chances de classificação.

Para esquentar as divergências entre a direção do clube e a Federação de Futebol do Rio de Janeiro o técnico Paulo Autuori fez duras críticas à entidade. O técnico usou palavras fortes como "federação dos espertos" e que a entidade seria uma "grande mamata, um feudo sem ideias".

Na sexta-feira à tarde, Autuori acabou sendo suspenso pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro por 15 dias por ter infringido o artigo 35 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Se o Botafogo não reverter a punição, o time vai ser comandado pelo auxiliar Renê Weber.

Em relação ao time, a principal novidade treinada por Autuori durante a tumultuada semana foi a improvisação do volante Cícero no meio da defesa ao lado de Ruan Renato, deslocando Marcelo Benevenuto para a lateral direita.

O setor de meio-campo ganha força ofensiva com o meia Luiz Fernando entrando na vaga do volante Caio Alexandre, que ainda está fora de ritmo por ter voltado após a maioria dos companheiros. O trio de meias deve ter Alex Santana, o japonês Honda e Bruno Nazário. Como teve problemas para voltar do Paraguai, Gatito Fernandez perdeu a vaga no gol para Diego Cavalieri.

Os jogadores da Cabofriense realizaram exames de covid-19 em 15 de junho, com apenas um atleta e um membro da comissão técnica testando positivo. Os nomes não foram divulgados. Desde então, o clube mantém rígido protocolo contra a doença.

O técnico Luciano Dias tem a dura missão de evitar que o time entre na seletiva contra o rebaixamento. É o motivo principal para pontuar nos dois últimos jogos, contra o Botafogo e depois o Bangu. O sucesso pode valer o passaporte pra a disputa da Série D do Brasileiro. "São grandes desafios, mas nós que dependemos do futebol, estamos felizes em voltar ao trabalho. O futebol está preparado para isso, com um protocolo rígido".

Mas o time sofreu várias baixas com o término de contrato de jogadores. Desta forma, três jovens do sub-20 vão jogar: o zagueiro Jean, o meia Pedrinho e o atacante Natan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.