Reprodução/Twitter/manutd
Reprodução/Twitter/manutd

Contratado pelo Manchester United, Fred diz que jogará no 'maior clube do mundo'

Volante que está com a seleção brasileira teve oficializado o acordo com o time inglês nesta quinta-feira

Estadão Conteúdo

21 Junho 2018 | 11h58

Aprovado em exames médicos e confirmado como reforço do Manchester United por cinco temporadas, Fred afirmou que vai jogar no "maior clube do mundo". O meio-campista foi contratado após pagamento ao Shakhtar Donetsk de uma quantia estimada em 55 milhões de euros (aproximadamente R$ 243 milhões).

+ Fred desfalcou estreia da seleção diante da Suíça

+ Emre Can passa por exames médicos na Juventus e deve reforçar clube italiano

"Esse é o maior clube do mundo e eu estou muito feliz por fazer parte deste time incrível. Trabalhar com José Mourinho, que já ganhou muitos troféus como treinador, é uma oportunidade que não se pode perder. Mal posso esperar para conhecer meus novos companheiros", disse Fred ao site oficial do Manchester United.

O meio-campista agradeceu ao Shakhtar pelos cinco anos vividos no clube, pelo qual conquistou três Campeonatos Ucranianos, e afirmou que agora pode "se concentrar totalmente em jogar na Copa do Mundo". Fred foi convocado por Tite e está na Rússia com o elenco do Brasil para disputa do Mundial.

O Manchester United confirmou nesta quinta-feira a contratação de Fred, que já era dada como certa entre as partes e havia sido anunciada inicialmente no dia 5. Sem divulgar o valor da compra, o clube inglês escreveu que "está encantado por comunicar que finalizou a transferência de Frederico Rodrigues de Paula Santos junto ao Shakhtar Donetsk".

O técnico José Mourinho elogiou o reforço. "Fred vai complementar as qualidades dos nossos meio-campistas, que é o que precisamos. A criatividade dele e a visão de passes vão dar outra dimensão ao nosso jogo. Estou muito feliz que ele se juntou a nós e creio que nossos jogadores sabem quão importante ele pode ser para o nosso time", afirmou o treinador português.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.