Contrato de Luizão já preocupa

Boa parte da goleada do Corinthians sobre o Santos por 5 a 0, hoje, no Pacaembu, pode ser atribuída ao futebol do atacante Luizão, que manteve a média ao marcar seu 12.º gol na 12.ª partida consecutiva. Além do gol, o atacante deu o passe para Éwerthon marcar um dos seus dois gols na partida, e criou ainda outras boas jogadas como a falta que sofrera de Pitarelli, provocando a expulsão do goleiro santista aos 31 minutos de jogo. O atacante era um dos mais entusiasmados com a reação do time na competição, que ganhou a segunda partida seguida. "O resultado foi conseqüência do futebol que o time jogou. Temos de jogar sempre assim, no ataque, em busca dos gols. Se não vamos conseguir a classificação, vamos ganhar sempre para dar satisfação à nossa torcida", disse o atacante. Luizão teve um pequeno desentendimento com Éwerthon aos 21 minutos do segundo tempo, após o companheiro ter desperdiçado uma jogada de ataque. João Carlos teve até de intervir. No fim do jogo, Luizão não quis comentar o incidente, considerando o fato como coisa normal da partida. O atacante deverá ser uma dor de cabeça para a diretoria do Corinthians durante a semana. O contrato do jogador está para terminar, e ele disse que sua intenção é permanecer no Parque São Jorge. Ele antecipou que seu procurador e empresário Francico Monteiro, o Todé, deverá conversar com os dirigentes esta semana para iniciar o acordo com o atacante. O técnico Wanderley Luxemburgo enalteceu a atuação do time. O treinador novamente não quis falar em chances de classificação, repetindo que o Corinthians tem de ganhar até a última partida. "Mas agora vão dizer que o time não ganha três partidas seguida há certo tempo", disse o treinador ao comentar as cobranças que estão fazendo da equipe no Paulista. "Mas, tudo bem, o importante é que o time está crescendo, jogando com mais harmonia e buscando o ataque", afirmou o técnico. O meia Marcelinho, outro destaque do Corinthians na partida, disse que a vitória e o início da redenção do time, é resultado da reunião que os jogadores tiveram entre eles, durante a concentração recentemente em Serra Negra. "Conversamos muito e dissemos que se o Corinthians não reagisse todo mundo iria perder, iria fracassar junto. Só com união e dedicação, poderíamos sair da situação. Estamos conseguindo", disse Marcelinho, que abriu a goleada com o gol de pênalti. A vitória é o estímulo que o time precisava para se preparar para sua estréia na Copa do Brasil contra o Joinville, quarta-feira em Joiville.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.