Contrato impede que jogadores do Corinthians escondam patrocínio

Acordo com a Caixa prevê que o clube pague R$ 3,1 milhões caso algum atleta tire a camisa, por exemplo

O Estado de S. Paulo

27 de março de 2013 | 15h31

SÃO PAULO - O contrato do Corinthians com a Caixa Econômica Federal obriga os jogadores do time a não esconderem o logomarca do banco em caso de comemoração de gols. Tirar a camisa, sem pensar também. Caso isso aconteça, o clube, que recebe R$ 31 milhões até dezembro, terá de pagar multa de R$ 3,1 milhões à Caixa. O banco federal também exige, pelo acordo, camisas do clube e ingressos para todas as partidas em que o Corinthians for mandante, segundo reportagem da Folha de S. Paulo.

Mesmo a contragosto, a Controladoria Geral da República tornou público parte do contrato do Corinthians com a Caixa. A multa por esconder a marca do banco também vale em caso de comemorações de vitórias e conquistas. Como o Corinthians assinou o acordo em 2012, tratou de avisar seus jogadores das proibições. Também foi divulgado, segundo a reportagem, que o patrocinador recebe mensalmente 300 camisas do Corinthians.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansCampeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.