Contusão afasta Fellype Gabriel do Cruzeiro por 3 semanas

Uma contusão no ombro direito irá afastar o meia Fellype Gabriel do time do Cruzeiro por cerca de três semanas. Havia suspeita de fratura, após a lesão sofrida no jogo-treino de quarta-feira, mas ela foi descartada no exame realizado nesta quinta."Não houve fratura. O diagnóstico do Fellype Gabriel é de uma luxação acromioclavicular, que causou uma lesão no ligamento. Ele já começou a fazer fisioterapia e ficará em tratamento por três semanas", explicou o médico do Cruzeiro, Octacílio da Matta.Esta é a segunda contusão de Fellype Gabriel na temporada. Antes, ele ficou um mês parado, até o último dia 10 de março, por conta de um estiramento muscular na coxa direita.Em compensação, o técnico Paulo Autuori terá a volta do volante Renan para armar o time do Cruzeiro que enfrenta o Democrata no domingo, pelo Campeonato Mineiro. O jogador está recuperado de um edema muscular na coxa esquerda e foi liberado para jogar."Estou me sentindo bem, fui bem no treinamento e a tendência é melhorar ainda mais até o dia do jogo. Fico à disposição do Paulo e ele vê o que é melhor para o grupo", disse Renan, que deve ser titular no domingo.Visita ilustreDe folga no PSV Eindhoven, da Holanda, o goleiro Gomes esteve na Toca da Raposa II na tarde desta quinta-feira. Ele está no Brasil para acompanhar o nascimento do seu segundo filho e aproveitou para manter a forma no clube mineiro.Gomes defendeu o Cruzeiro de 2000 a 2004, de onde saiu para jogar no futebol europeu. "Sempre que volto a Belo Horizonte eu venho rever os amigos. Eu sempre digo que o Cruzeiro é a minha casa, eu tenho uma relação muito boa com a diretoria do Clube, com os profissionais que aqui trabalham", disse o goleiro de 26 anos.Nesta quinta-feira, ele treinou com os demais goleiros do Cruzeiro e até participou do treino tático. "Agradeço ao Flávio [Tênius, preparador de goleiros] pela oportunidade de treinar aqui e ao Paulo [Autuori, técnico], que me deixou treinar com o grupo. Isso é muito bom", afirmou Gomes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.