Diego Vara/Reuters
Diego Vara/Reuters

Convocações e lesões preocupam Carille para escalar Corinthians no sábado de manhã

Pedrinho, Fagner, Sornoza e Araos foram convocados por suas seleções; Everaldo está com pubalgia

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2019 | 04h30

O técnico Fábio Carille terá vários desfalques para escalar a equipe do Corinthians para o próximo jogo, diante do Ceará, pelo Campeonato Brasileiro. Além das quatro ausências por convocações para as seleções (Pedrinho na seleção brasileira sub-23, Fagner na principal, além de Sornoza na equatoriana e Araos na chilena), dois atacantes ficaram fora dos treinamentos de campo por problemas médicos: Everaldo (pubalgia) e Boselli (leve torção no tornozelo)

Everaldo vinha se queixando de dores desde a semana passada. Depois de ficar fora dos treinamentos de segunda e terça-feira, a tendência é que ele só volte ao time no mês que vem. São duas semanas de tratamento mais o período de transição do departamento médico para os treinos no gramado. Essa é a segunda vez que o atacante sente o problema no púbis. 

Outro problema médico é a lesão do zagueiro Léo Santos. Ele sofreu uma fratura no joelho direito na manhã de sábado. O jogador será submetido a cirurgia e só deve retornar no ano que vem. Com tantos desfalques, uma escalação possível do Corinthians é: O Corinthians que pega o Ceará pode ter Cássio, Michel Macedo, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Gabriel; Jadson, Júnior Urso, Mateus Vital e Clayson; Vagner Love.

 

Hoje, o Corinthians é o terceiro colocado no Campeonato Brasileiro. É a melhor defesa do torneio. O fato não é propriamente novo, parece "notícia velha", pois o setor defensivo se tornou a marca registrada do clube nos últimos anos. A novidade da temporada é que esse desempenho ajudou o time de Carille a superar São Paulo Palmeiras na tabela. O Corinthians está empatado com o São Paulo em pontos, mas à frente nos critérios de desempate (o Palmeiras tem um jogo a menos). 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.