Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Convocações para seleções devem desfalcar o Corinthians no Paulistão

Fagner, Balbuena e Romero devem ser ausências em uma possível semifinal do estadual

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

12 Março 2018 | 18h43

As convocações das seleções do Paraguai e do Brasil devem causar problemas ao técnico Fábio Carille no Corinthians. O lateral-direito Fagner, o zagueiro Balbuena e o atacante Romero podem desfalcar a equipe em uma possível semifinal do Campeonato Paulista. No caso de Fagner, ele ainda corre o risco de nem mesmo atuar no jogo da volta das quartas de final, contra o Bragantino.

+ Carille avalia o Bragantino, próximo rival no Paulistão: 'time chato'

+ Corinthians mostra apoio a Romero com frase contra xenofobia

Fagner foi convocado pelo técnico Tite para os amistosos contra a Rússia, dia 23 de março, em Moscou, e Alemanha, dia 27, em Berlim. Assim, ele não teria condições de atuar no jogo da volta das quartas de final do Paulista, contra o Bragantino, dia 21 de março, e também em uma hipotética semifinal do estadual, dias 25 e 28 de março.

Já Balbuena e Romero foram convocados para defender o Paraguai no amistoso contra os Estados Unidos, dia 27 de março. Com isso, ambos também não deverão jogar na semifinal do Paulista. Existe a possibilidade do Corinthians pedir a liberação de ambos do amistoso, já que a seleção paraguaia não fará o jogo como preparação para o Mundial, pois não conseguiu a classificação nas Eliminatórias.

Sobre a possibilidade de ficar fora das semifinais, Fagner acredita que ainda é cedo para descartá-lo caso realmente a partida venha a acontecer. “Vai depender muito da logística, de horário de jogo. Vamos ver como vou me sentir na volta”, comentou.

Em relação a ter sido chamado para os últimos jogos antes da convocação para a Copa, o lateral também preferiu ser cauteloso e não dá sua vaga para a Rússia como favas contadas. “Importante estar nestes últimos amistosos. A gente sabe que não tem nada definido e que será só em maio mesmo. Importante trabalhar com eles (comissão técnica da seleção), vivenciar esses dias e ter oportunidade. Fazendo um bom trabalho lá as coisas podem ficar mais próximas. Por outro lado, sei que vou perder jogos aqui e fico triste por não estar presente, mas sei que o Mantuan vai entrar bem, como fez no final de semana”, projetou o lateral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.