Copa América depende de seqüestro

O presidente da Federação Peruana de Futebol, Nicolas Delfino, informou hoje em Lima, que a Confederação Sul-Americana de Futebol (CSF) condicionou a realização da Copa América no mês que vem na Colômbia, à libertação de Hernan Mejía Campuzano - seqüestrado na segunda-feira por guerrilheiros das Farcs - as Forças Revolucionárias da Colômbia. Campuzano é vice-presidente da Federação Colombiana de Futebol e integrante do comitê organizador da Copa América - prevista para o período de 11 a 29 de julho. ?Não se pode ir a um lugar onde o vice-presidente de uma federação está seqüestrado?, resumiu o dirigente.Uma das possibilidades que estão sendo estudadas pela CSF é transferir a competição para outro país. A preferência é o Uruguai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.