Sergio Moraes / Reuters
Sergio Moraes / Reuters

Copa América no Brasil é uma insanidade; leia análise

Com o aumento do número de viajantes, teremos maior contato entre as pessoas, maior transmissão do vírus e, consequentemente, podemos ter novas variantes

Gonzalo Vecina*, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2021 | 05h00

A realização da Copa América no Brasil, neste momento da pandemia, pode ser considerada uma loucura, uma insanidade. Não é o momento de fazer um evento dessa ordem num país que está enfrentando a pandemia do jeito que estamos. Nosso enfrentamento à pandemia está sendo conduzido sem vacina e sem governo. Com o aumento do número de viajantes, teremos maior contato entre as pessoas, maior transmissão do vírus e, consequentemente, podemos ter novas variantes. É um erro trazer essa competição para o Brasil.

Os riscos da Copa América no Brasil são de uma grande aceleração na doença. Não adianta falar que não vai ter público. Teremos aglomerações na porta dos estádios, nos bares e nos restaurantes para torcer. Esse é o espírito de uma competição desse tipo. Acho que o Governo Federal aceitou sediar a Copa América provavelmente por causa dessa característica da competição.

Se a final realmente for realizada no Maracanã, aí nós teremos a “cereja do bolo”. Infelizmente. Eu esperaria que os cariocas tivessem a condição de impedir que isso não fosse realizado. Mas o governador carioca é um aliado do presidente e se renderá a essa solicitação. Quem pagará a conta, com vidas, será a população do Rio de Janeiro.

Eu espero que seja proibido o embarque de torcedores de outros países. Pelo menos, isso. Se houver essa liberação, aí teremos a tempestade perfeita na pandemia.

* Médico sanitarista, professor do Departamento de Política, Gestão e Saúde da Faculdade de Saúde Pública da USP e da FGV Saúde. Também foi secretário municipal da Saúde na capital paulista

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa América de Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.