Copa América: US$ 10 mi de prejuízos

Organizadores, promotores e participantes já começam a calcular os prejuízos que vão ter com o adiamento da Copa América para 2002. No Brasil, a Traffic, detentora dos direitos sobre o evento, já estima que a decisão da Confederação Sul-Americana de Futebol (CSF), anunciada no sábado, em Buenos Aires, vai provocar um rombo que pode chegar a US$ 10 milhões. A competição foi mantida na Colômbia, mas espera-se que o País controle a onda de violência. A informação foi passada por José Lázaro, diretor da empresa. Segundo ele, a maior parte desse montante se deve aos acordos sobre direitos de televisionamento, que já estavam comercializados com 160 países. "Muitos deles já haviam até fechado acordos para a edição de 2003", disse o executivo. "Mas com essa indefinição, esses negócios podem ser comprometidos. Os prejuízos são incalculáveis e corremos o risco de muitos anunciantes saírem por causa de ser ano de Copa do Mundo". Na esteira desse problema, aparecem outros que colaboram para aumentar o rombo, caso das placas de publicidade estáticas e venda de ingressos. Lázaro confirmou hoje a notícia que começou a circular poucas horas depois do anúncio em Buenos Aires. Como a CSF não antecipou em que mês pretende realizar o evento - limitou-se a dizer que vai adaptar-se ao calendário da Fifa - especulou-se que os meses de janeiro e fevereiro são os mais cotados. "Existe, de fato, essa possibilidade", observou. Nessa caso, o badalado calendário divulgado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em conjunto com Pelé e o ministro dos Esportes e Turismo, Carlos Melles, já estaria desconfigurado. Quadrangular - Uma das alternativas estudadas pelo organizadores é criar uma competição "tampão". Seria a Copa Mercosul (nome provisório), que contaria com a presença de Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, que a disputariam no sistema de quadrangular.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.