Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Copa das Confederações já levou meio milhão de torcedores aos estádios

Torneio tem média de público maior que a da última Copa e partidas para grandes plateias

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

23 de junho de 2013 | 08h10

SÃO PAULO - Os números do comparecimento da torcida até aqui na Copa das Confederações deixam no ar a promessa de que a Copa do Mundo de 2014 tem tudo para ser um sucesso de público. Até este domingo foram realizados dez dos 16 jogos da competição e as partidas levaram aos estádios brasileiros mais de 500 mil torcedores.

Isso significa que a cada dez assentos das novas arenas, oito estavam ocupados. A média de público até o momento é de pouco mais de 50 mil por jogo, já superior até mesmo que a da Copa de 2010, na África do Sul, quando cada partida reuniu em média 49,6 mil torcedores.

E os números de público da Copa das Confederações 2013 ainda têm tudo para aumentar. A segunda metade da competição, que inclui a última rodada da fase de grupos e a etapa final do torneio, tem jogos mais atrativos e com previsão de estádio lotados para as semifinais e também. A decisão marcada para o dia 30 de junho no Maracanã, por exemplo, já estava com os ingressos esgotados antes mesmo do jogo de abertura entre Brasil e Japão.

O estádio carioca, aliás, é um dos grandes trunfos para atrair público. Conhecido internacionalmente pela tradição e ponto turístico da cidade, o Maracanã é o maior estádio da Copa das Confederações e cumpriu essa expectativa ao receber até agora os dois maiores públicos do torneio.

A vitória de 2 a 1 da Itália sobre o México, no último domingo, foi assistida por 71,5 mil torcedores, só foi superada pela histórica goleada de 10 a 0 da Espanha sobre o Taiti. Em plena tarde de quinta-feira, 71,8 mil pessoas foram ao estádio.

Apesar disso, o jogo em que o estádio ficou mais lotado não aconteceu no Rio de Janeiro, mas sim em Brasília. A abertura da competição, com os 3 a 0 do Brasil sobre o Japão, contou com 95% dos 70 mil lugares do Mané Garrincha ocupados por torcedores.

Pouco público

Uma partida até aqui foi na contramão das arenas cheias. O jogo entre Taiti e Nigéria, no Mineirão, realizado na tarde da última segunda-feira, esteve longe de empolgar o público de Belo Horizonte. A equipe de jogadores amadores da Oceania e os campeões africanos desfalcados de quatro titulares levaram ao estádio o público mais baixo registrado até aqui: somente 20 mil pessoas. Isso corresponde a apenas a 32% de ocupação dos 62 mil assentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.