Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Copa do Brasil vai definir futuro de Oswaldo

O jogo de quarta-feira é fundamental para o futuro de Oswaldo de Oliveira no Corinthians. O time enfrenta o Fortaleza, pela Copa do Brasil, às 21h45, na capital cearense, e conseguirá a classificação em caso de vitória ou empate com gols. Se o jogo terminar empatado sem gols, decisão nos pênaltis.Se conseguir a vaga para as quartas-de-final da Copa do Brasil, Oswaldo terá mais tranqüilidade para trabalhar. Até a próxima derrota, é claro. Em caso de desclassificação, apesar da boa vontade de Roque Citadini, vice-presidente de Futebol, a situação de Oswaldo ficará ainda mais frágil. E insustentável em caso de derrota contra o Atlético, no domingo, em Belo Horizonte, pelo Brasileiro.Oswaldo sabe que sua permanência pode depender do Fortaleza. ?Depois dessa derrota para o Palmeiras, esse jogo ganhou uma importância muito grande, o que não significa que estejamos abandonando o Brasileiro?, disse, no vestiário, após os 4 a 0.O técnico tem o apoio de Citadini. Ontem, o dirigente repetiu que não gosta de demitir treinadores durante as competições.Com a saída dos cartolas Andrés Sánchez e Fran Papaiordanu, Citadini passou a ter todo o poder no futebol do Corinthians, mas mesmo assim sua vontade não é garantia de permanência de treinadores. Ele tentou segurar Geninho, mas a goleada por 6 a 1 para o Juventude, no Brasileiro do ano passado, fez com que o técnico pedisse demissão. Júnior, seu substituto, assustado com a má qualidade do elenco, pediu demissão. E Juninho caiu, apesar da posição de Citadini, que gostaria de mantê-lo.O apoio da Gaviões, Oswaldo perdeu de vez no domingo. ?Tudo tem um limite. Fui no treino de sábado, dei apoio a ele, mas levar de quatro para o Palmeiras é demais! O Oswaldo não tem pegada para ser técnico de um time como o Corinthians. A Gaviões quer o Luxemburgo?, disse Ronaldo Pinto, presidente da torcida organizada.Se depender de Citadini, o torcedor vai continuar querendo. Ele não se dá com Luxemburgo e, caso Oswaldo não fique, deve explicitar sua preferência por Leão, que vive seus últimos dias no Santos. Citadini está por dentro de tudo o que acontece na relação do Santos com Leão.Oswaldo e Citadini sabem que o elenco é muito fraco e que não é possível uma reação considerável apenas com esses jogadores. ?Nós conversamos com o Citadini e ele falou que iria trazer vários jogadores, mas até agora nada. Só o Kléber mesmo?, lamentou o presidente da Gaviões.Kléber está no Hannover, que luta para não cair para a Segunda Divisão na Alemanha. O campeonato termina no dia 24 e o clube não vai ficar com o jogador. Com a volta de Kléber, Oswaldo terá resolvido um de seus muitos problemas, já que Renato é apenas uma improvisação. Restam muitos outros problemas que a falta de dinheiro não permite resolver.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.