Beto reafirma que Cristiano Ronaldo está 100% em forma

Português deixou treino desta quarta-feira com uma compressa de gelo no joelho e levantou dúvidas a respeito de seu estado físico

AE, Agência Estado

18 de junho de 2014 | 19h58

Cristiano Ronaldo saiu com uma compressa de gelo no joelho após o treino desta quarta-feira, no CT da Ponte Preta, em Campinas, e voltou a gerar dúvidas sobre o seu estado físico. Apesar disso, mais um jogador do elenco português se pronunciou dizendo que o atacante está em plenas condições de jogo. Desta vez, quem veio a público foi o goleiro Beto, que garantiu a presença do melhor jogador do mundo na partida contra os Estados Unidos, neste domingo, pela segunda rodada do Grupo G da Copa do Mundo.

"Cristiano está 100% pronto para jogar. Toda partida, se ele começa jogando é porque ele está bem, está preparado", reafirmou o atleta do Sevilla. "Ele ama o futebol, mas seu estado físico é o mais importante para ele", completou, acrescentando que Cristiano Ronaldo já está "cansado de ler coisas sobre ele que não são verdadeiras".

As dúvidas sobre o atacante do Real Madrid giram em torno de uma tendinite que ele vem combatendo desde antes do Mundial e que foram reforçadas pelo seu desempenho abaixo do esperado na derrota humilhante por 4 a 0 na estreia diante da Alemanha. Antes da partida da última segunda, o próprio Cristiano Ronaldo e também o volante William Carvalho já tinham dado certeza aos jornalistas sobre as perfeitas condições de jogo dele.

Um indício que indica a plena recuperação da principal esperança de gols do técnico Paulo Bento foi a ausência da proteção no joelho de Cristiano Ronaldo no treino da manhã desta quarta.

Após a derrota para os alemães, Portugal precisa vencer os Estados Unidos para seguir com boas chances de passar para as oitavas de final. Beto reconhece o progresso da seleção norte-americana, mas está confiante na obtenção dos três pontos. "A melhor versão de Portugal pode derrotas os Estados Unidos", disse. "Nós os respeitamos, é um time muito bom que cresceu bastante nos últimos anos. Mas nós acreditamos muito no nosso potencial".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.