Equador lamenta pontos perdidos no duelo contra Suíça

Para o treinador Reinaldo Ruedas, sua equipe não deveria ter deixado para decidir classificação nas oitavas contra a França

Ronald Lincoln Jr., O Estado de S. Paulo

25 de junho de 2014 | 21h19

O Equador sabia que a partida desta quarta-feira seria, provavelmente, a mais difícil da primeira fase e, ainda assim, deixou para decidir a vaga nas oitavas de final contra a França. Para o treinador Reinaldo Ruedas, sua equipe deveria ter conquistado os pontos necessários antes - principalmente contra a Suíça, quando perdeu por 2 a 1.

"É um campeonato muito curto. Sabíamos que tínhamos um rival nesta quarta-feira com muitas virtudes e que já estava classificado. Faltou termos melhor nível contra os suíços. Foi o jogo principal, eram eles ou nós. Mas perdemos muitas oportunidades e não fomos eficazes", disse o técnico.

Um forte golpe para os equatorianos foi a expulsão de seu capitão, Antonio Valencia. "Foi uma pena tudo o que aconteceu. Respeito muito a arbitragem, não há nada a fazer a esse respeito. Perdemos um homem importante e, talvez, o mais experiente pelo que significa para o Equador. Foi difícil buscar o resultado", lamentou Ruedas.

Ele não poupou a arbitragem quanto ao lance em que o francês Sakho deu uma cotovelada em Enner Valencia. "Várias decisões da arbitragem não nos beneficiaram, mas deixo isso para que os especialistas analisem. Não cabe mais falar sobre esse assunto agora."

O contrato do técnico colombiano se encerrou com o fim da Copa, mas ele espera permanecer no cargo. "Acho que fizemos um ótimo trabalho. Revelamos Enner Valencia e Domínguez, que há três anos praticamente não existiam no futebol. Fizemos um trabalho importante de renovação nessa seleção."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.