Felipão minimiza vaias e vê paciência da torcida brasileira no Morumbi

Segundo o treinador, críticas não atrapalham os jogadores da seleção a apenas seis dias da primeira partida na Copa do Mundo

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

06 de junho de 2014 | 19h37

No primeiro jogo do técnico Luiz Felipe Scolari no comando da seleção brasileira em São Paulo, a equipe não escapou das vaias que já se tornaram tradicionais quando o Brasil tem uma atuação abaixo das expectativas, como a desta sexta-feira, quando derrotou a Sérvia por 1 a 0, no Morumbi, em seu último amistoso antes do início da Copa do Mundo. Após a partida, Felipão contemporizou as críticas e garantiu que elas não incomodaram ou atrapalharam o comportamento dos jogadores em campo.

"Normal, apareceram em Goiânia também. Não foi problema nenhum para os nossos jogadores. Estão todos preparados e sabedores de que vai haver discordância da torcida", disse o treinador, também lembrando que o time chegou a ser vaiado na última terça-feira, durante a goleada por 4 a 0 sobre o Panamá, no Estádio serra Dourada, e tentando demonstrar que as reclamações não o preocuparam.

Felipão também avaliou que a imensa maioria presente ao Morumbi deixou o estádio satisfeita e destacou a paciência do público. "Ao final, de um público de 67 mil, tinham 65 mil satisfeitos. Quero agradecer, porque foram pacientes em determinados momentos e nos ajudaram a conseguir a vitória", afirmou.

Se ainda não havia comandado a seleção brasileira em São Paulo, Felipão voltará a dirigir a equipe na capital paulista já na próxima semana, quando a Copa do Mundo será aberta com o confronto com a Croácia, na quinta-feira, mas no Itaquerão.

E, na opinião do treinador da seleção, o apoio será ainda maior nesse próximo compromisso. "Demos um cartão de visitas muito legal para o jogo contra a Croácia, quando também tenho certeza que teremos apoio integral", concluiu Felipão, esperançoso de que a seleção se sinta mais em casa no pontapé inicial da Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.