Felipão volta a elogiar Chile e cobra 'erro zero' da seleção brasileira

'Catimba, qualidade, organização, tudo isso o Chile tem', afirma

AE, Agência Estado

23 de junho de 2014 | 21h10

Desde que o sorteio da Copa apontou o Brasil no Grupo A enfrentando um time do Grupo B nas oitavas de final do Mundial, Felipão já deixava claro que preferia enfrentar Holanda e Espanha a ter que jogar contra o Chile. Mas na partida do próximo sábado, às 13h, no Mineirão, em Belo Horizonte, serão exatamente os chilenos os adversários da seleção, na primeira rodada dos mata-matas.

Nesta segunda-feira, após o Brasil fazer 4 a 1 em Camarões e classificar-se em primeiro no Grupo A, Felipão voltou a elogiar a equipe chilena, treinada por Jorge Sampaoli. "Se pudesse escolher escolheria uma outra seleção. O Chile é mais difícil também por se tratar de uma seleção sul-americana. Catimba, qualidade, organização, tudo isso o Chile tem", apontou Scolari.

Na entrevista coletiva após a partida desta segunda em Brasília, Felipão fez questão de mandar um "eu já sabia". "Via as dificuldades da seleção e as qualidades do Chile. É que algumas pessoas não viam dessa forma. Eles têm muita qualidade", comentou o treinador, que completou: "Vamos observar os jogos anteriores, os jogos atuais, conversar com nossos jogadores e tentar ganhar do Chile para passarmos mais uma etapa".

Felipão ressalta, porém, que diante do Chile e nos demais possíveis jogos da Copa o Brasil não pode mais errar como errou nos três primeiros jogos. "Na fase seguinte não dá pra gente ter tropeço, não dá para conceder oportunidades tão vivas ao adversário. Vai ter que ter postura bem equilibrada, bem pensada, porque é jogo muitas vezes de um gol. É onde a gente não pode cometer tantos erros. Isso que vai mudar, isso que temos que tentar fazer diferente a partir do próximo jogo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.