Miguel Herrera cativa torcedores com 'selfies' e muita simpatia

Técnico mexicano, que chega a consultar as redes sociais sobre escalação do time, ganhou a confiança do elenco - e do país

Paulo Favero - Enviado especial a Fortaleza, O Estado de S. Paulo

28 de junho de 2014 | 22h00

O técnico Miguel Herrera é um show à parte no México. Dono de um estilo único, que contrasta com quase todos os outros treinadores da Copa, ele vem alcançando níveis altíssimos de popularidade em seu país e cativou todos os jogadores com seu jeito divertido, surpreendente e carismático.

Ele reina nas redes sociais e costuma fazer selfies com torcedores e em momentos de descontração. Já chegou, inclusive, a consultar torcedores peloTwitter para ouvir opiniões sobre a convocação da equipe em um momento de crise do futebol local. Também costuma responder perguntas dos fãs e está sempre atualizando seus perfis. Quando comemora um gol de seus atletas, parece ter sido o próprio autor do gol, tamanha a festa que faz.

Aos 46 anos, ele é o principal responsável pela arrancada do México nas Eliminatórias. De equipe quase eliminada, transformou o elenco, passou a dar confiança principalmente a jogadores que atuam em seu país e chamou para conversar os principais atletas, para sentir o nível de compromisso de cada um. Foi assim que deixou a estrela Carlos Vela longe da seleção. "Não percebi comprometimento dele", disse.

Em Fortaleza, na primeira vez em que esteve na cidade durante a Copa, antes do confronto com o Brasil, ele apareceu na sacada do hotel em que a delegação estava hospedada para acenar aos torcedores. Esse contato com os fãs é uma de suas marcas registradas. "A torcida está com a gente e temos de nos cercar dela. Não somos intocáveis", avisa, ciente de seu papel à frente da seleção mexicana.

O jeito do treinador cativou o elenco, que pediu para que a Federação Mexicana de Futebol renovasse o contrato com ele. "Me deixa feliz que falem dele não só pela sua forma de ser, mas pela maneira como trabalha também", afirma o capitão, Rafa Márquez. A tendência é Herrera ficar até 2018.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.