Resumo da Copa: Brasil elimina Chile e enfrenta colombianos invictos

Brasil faz jogo fraco e alcança vaga com defesas de Julio Cesar; colombianos seguem 100% e com o James Rodriguez em alta

O Estado de S. Paulo

28 de junho de 2014 | 22h52

Cada um dos mais de 190 milhões de brasileiros querem ver o Brasil hexacampeão do mundo, mas a partida contra o Chile foi apenas uma demonstração das dificuldades que a equipe terá ao longo do caminho. O primeiro passo na fase eliminatória foi bem-sucedido. Nos pênaltis, o Brasil derrotou o Chile, em grande dia de Julio Cesar e avançou para as quartas de final da competição, onde enfrentará a invicta equipe colombiana, que despachou os uruguaios com mais gols de James Rodriguez. Veja como foi o 17º dia de Copa do Mundo no Brasil.

BRASIL 1 (3) x (2) 1 CHILE

O Brasil está vivo. A seleção sofreu e o brasileiro mais ainda, mas graças a duas defesas de pênaltis de Julio Cesar, o time eliminou o Chile e se classificou para as quartas. A vaga veio nos tiros livres, com vitória da seleção por 3 a 2, gols de David Luiz, Marcelo e Neymar. Aranguiz e Diaz fizeram os gols da seleção chilena. No tempo normal, houve empate por 1 a 1.

Entretanto, a classificação pode custar caro. Neymar deixou o campo sentindo dores após tomar uma pancada forte na coxa e preocupa a comissão técnica da seleção brasileira para a partida das quartas de final. O adversário do Brasil na próxima rodada será a Colômbia, que venceu o Uruguai por 2 a 0. O confronto entre as equipes sul-americanas acontece na próxima sexta-feira, 4, em Fortaleza, no Castelão, 17h.

COLÔMBIA 2 x 0 URUGUAI

A Colômbia entrou no caminho do Brasil em grande estilo. Num Maracanã que parecia um pedaço de Bogotá, tamanha era a superioridade de sua torcida nas arquibancadas, a equipe ganhou com autoridade – e sem sofrer – do Uruguai por 2 a 0 e chegou às quartas de final de um Mundial pela primeira vez em sua história. A Celeste, desta vez, sucumbiu no palco de sua maior conquista.

Foi o triunfo de um time que joga futebol sobre um que esperava se impor apenas com luta e cara feia, porque jogo, que é bom, esta seleção uruguaia mostrou bem pouco. Mas não houve nem como lutar, porque a Colômbia teve o controle da partida do primeiro ao último segundo e tocou a bola com enorme consciência.

OUTRAS SELEÇÕES

A Holanda foi recebida na sexta-feira em Fortaleza por meia dúzia de torcedores, mas o México chegou diante de grande multidão, horas mais tarde. Isso já dá uma amostra de como será o tom dos fãs para a partida decisiva deste domingo, na Arena Castelão. Muitos holandeses ficaram surpresos com a classificação da seleção europeia em primeiro lugar no Grupo B e, por isso, não tiveram como mudar o roteiro.

Já os mexicanos voltaram para a mesma cidade que estiveram há quase duas semanas, quando a seleção enfrentou o Brasil, e a expectativa é de nova invasão asteca para a partida deste domingo. "Vamos tentar fazer história e passar para as quartas de final. Nosso objetivo é chegar longe nesta competição e, para isso, temos de superar a Holanda", afirmou o atacante Oribe Peralta, demonstrando otimismo para o duelo que vale vaga nas quartas de final da Copa - contra Costa Rica ou Grécia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.