Suposto líder da máfia dos ingressos da Copa deixa prisão no Rio

Franco-argelino Lamine Fofana e outros nove detidos foram beneficiados por decisão do STF e deixaram Penitenciária de Bangu

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

15 de agosto de 2014 | 17h01

O franco-argelino Mohamed Lamine Fofana, de 57 anos, foi libertado nesta sexta-feira do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro. Preso desde o dia 1º de julho, ele é acusado de ser o líder de um esquema ilegal de venda de ingressos da Copa do Mundo desarticulado pela Polícia Civil do Rio.

Ele e outros nove acusados de integrar a máfia dos ingressos foram beneficiados por habeas corpus concedido há uma semana pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele considerou que a prisão dos dez acusados não é necessária para manter a ordem pública.

No dia 5 de agosto, Melo já havia concedido liberdade a outro suspeito de participar da quadrilha, o inglês Raymond Whelan, executivo da Match, empresa credenciada pela Fifa para vender pacotes para jogos da Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.