Técnico da Bélgica exalta atacante Origi após classificação

Em jogo marcado pelo equilíbrio, a Bélgica conseguiu o gol somente no fim, que garantiu uma das duas vagas do Grupo H nas oitavas

Jamil Chade, Márcio Dolzan e Ronald Lincoln Jr., O Estado de S. Paulo

22 de junho de 2014 | 17h22

O jogo entre Bélgica e Rússia, neste domingo, no Maracanã, foi marcado pelo equilíbrio dos dois times, e o que fez a diferença para a vitória belga nos últimos minutos do jogo foi o banco de reservas, na opinião do treinador Marc Wilmots. O atacante Divock Origi, que entrou na partida aos 12 minutos do segundo tempo, foi o autor do gol que deu à Bélgica a classificação antecipada para a fase de mata-mata da Copa do Mundo.

"Ele é um jogador rápido, dedicado e disciplinado. Se não o conheciam, vocês puderam ver isso em campo. Não me surpreendeu o desempenho do jogador", destacou o técnico sobre Origi, em entrevista coletiva realizada após o jogo.

Wilmots também considerou fundamental o condicionamento físico de seus jogadores para o desfecho feliz no fim da partida. "Fisicamente nós éramos mais fortes. Acho que o time russo não estava muito bem. Por isso resolvi colocar reservas descansados. Se você ousar, às vezes, você força o resultado da partida, e foi isso que conseguimos: o gol."

O jovem apoiador Hazard foi eleito pela Fifa o craque do jogo. Depois de passar a partida quase inteira apagado, nos minutos finais, ele liderou a reação do time e foi autor da assistência para o gol de Origi, mostrando que ainda pode ser um dos destaques da Copa do Mundo.

Após a partida, ele se mostrou aliviado com o resultado. "Foi um jogo complicado, mas estamos satisfeitos com a vitória, ainda mais porque conseguimos nos classificar mesmo faltando um jogo. Agora, vamos pensar em buscar a terceira vitória", afirmou o meia do Chelsea.

A seleção belga ocupa a primeira colocação do Grupo H, com seis pontos conquistados. Seu próximo jogo será com a Coreia do Sul, na próxima quinta-feira, no Itaquerão, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.