Técnico de Portugal diz que fica no cargo após a Copa do Mundo

Paulo Bento ainda sonha com classificação para próxima fase do torneio, mas precisa golear Gana e ainda torcer por derrota dos EUA

Agência Estado

25 de junho de 2014 | 17h34

Um dia antes do jogo decisivo contra Gana, pela última rodada da fase de grupos da Copa do Mundo, Paulo Bento afirmou nesta quarta-feira que não pretende deixar o cargo de técnico da seleção de Portugal mesmo que a equipe seja eliminada nesta quinta, no estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília. O treinador tem contrato até a Eurocopa de 2016, na França.

Além de torcer por um vencedor do jogo entre Estados Unidos e Alemanha, no outro duelo do Grupo G, os portugueses precisam de uma grande vitória contra os africanos para sonharem com a classificação às oitavas de final, já que têm um saldo negativo de quatro gols. Paulo Bento garante, no entanto, que o resultado não irá influenciar a sua decisão. "Não irei me demitir, o que quer que aconteça na partida de amanhã (quinta)", afirmou o treinador.

O técnico ressaltou que conta também com o apoio dos dirigentes da Federação Portuguesa de Futebol (FPF). "Não é a intenção da federação me demitir. Também não é a intenção do presidente da FPF (Fernando Gomes) e nem a minha", disse.

Paulo Bento admite que a equipe enfrenta uma situação "extremamente complicada" em relação à classificação para as oitavas de final do torneio, mas diz que continua acreditando. "Tentaremos vencer e então veremos. Temos que escolher a melhor estratégia contra um time avançado tecnicamente, muito forte fisicamente e ótimo no contra-ataque e que também tenta a classificação", analisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.