Tristes, torcedores espanhóis veem fim de uma era de ouro

Nas ruas de Madri, fiasco da equipe mais vencedora da história da Espanha é interpretado com resignação; fãs falam em renovação

Andrei Netto, Enviado especial a Madri, O Estado de S. Paulo

18 de junho de 2014 | 23h07

Foi com amargura, mas resignação e com patriotismo que muitos espanhóis reagiram ao final da partida contra o Chile, que marcou a segunda derrota consecutiva e a eliminação de Espanha da Copa do Mundo do Brasil. No centro de Madri, torcedores lamentaram o fim de uma era de ouro e a necessidade de renovação da equipe, reclamando do desempenho de Iniesta, Xabi Alonso e Iker Casillas.

Para muitos espanhóis, a derrota de 2 a 0 para o Chile não foi nem sequer surpreendente. Depois da estreia humilhante e do 5 a 1 para a Holanda, boa parte da opinião pública já olhava com desconfiança para campeões de 2010. Conforme o jogo se desenrolou, o pessimismo tomou conta, e os gritos mais ouvidos em bares do centro da capital acabaram sendo os de membros da comunidade chilena.

Com o apito final, sobrou a resignação. "A seleção não foi renovada por Vicente Del Bosque. Ele não viu ou não quis ver que o ciclo se acabava", disse o estudante Alain Martínez, agradecido à geração campeã do mundo: "De qualquer forma, obrigado aos rapazes, a Luis Aragonés e a Del Bosque por todos esses anos de alegria".

Lucas Holmes completou: "Acaba-se uma fase de uma equipe que fez história. Vamos lembrá-los sempre, ao mesmo tempo em que vamos investir em outro projeto".

Enquanto os espanhóis lamentavam, os membros da comunidade chilena comemoravam a vitória sobre o que consideram um rival histórico – e duro de ser batido.

"Sempre, em todos os mundiais, nosso desafio é vencer a Espanha. Se vamos pegar o Brasil ou não na próxima fase não interessa. O mais importante é que vencemos a Espanha desta vez", disse a estudante e atriz Dominique Perez, de 20 anos. "O Brasil ganha sempre. Se perder essa não tem problema. Mas o que quero é ver um latino-americano campeão."

Natalie Cifuentes, 28 anos, animadora infantil, não continha os gritos para celebrar o resultado do Chile frente à Espanha, mas não alimentava ilusões. "O Chile venceu, mas a final do Mundial será Brasil e Alemanha", disse ela. "Gostaria de ver o Chile na final, mas não creio que vá acontecer."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.