Valdivia diz que teme a arbitragem no jogo de sábado, no Mineirão

Meia fez declaração ainda antes da definição do Brasil como rival

Féfio Hecico e Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

23 de junho de 2014 | 19h33

O camisa 10 do Chile conhece muito bem o futebol brasileiro e está preocupado com a arbitragem do jogo deste sábado, em Belo Horizonte, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. Valdivia, ídolo do Palmeiras, afirmou nesta segunda-feira, ainda antes da definição do Brasil como o adversário, que torce para não haver pressões externas para o confronto.

O meia disse que espera "algo limpo" e sem os mesmos problemas de que reclamou no Itaquerão. "É difícil não comentar sobre a arbitragem. Contra a Holanda era um jogo muito importante e colocaram um árbitro de Gâmbia (Bakary Gassama), um cara sem personalidade e nem critério", criticou.

O temor dos adversários do Brasil é que se repitam novas decisões duvidosas da arbitragem, como na abertura contra a Croácia. O japonês Yuichi Nishimura assinalou pênalti da defesa croata em Fred em lance que gerou bastante polêmica, a ponto de o atacante se pronunciar dias depois e garantir que foi derrubado. "Espero que o externo não influa no juiz para o jogo contra o Brasil", comentou Valdivia.

O chileno foi titular na estreia, contra a Austrália, e marcou um dos gols da vitória por 3 a 1. Contra a Espanha e a Holanda, entrou no segundo tempo. Nesta segunda, antes de ser chamado pelo técnico, ouviu a torcida pedir o seu nome em coro e comemorar quando substituiu o zagueiro Silva na etapa final.

Valdivia é um dos remanescentes do elenco chileno eliminado pelo Brasil também nas oitavas de final da Copa da África do Sul, em 2010, por 3 a 0 (assim como Vidal, Bravo, Medel, Jara, Beuasejour e Sánchez, entre outros) e admitiu que o novo confronto será muito difícil. "É uma equipe que joga com intensidade, sabe atuar na defesa e oferece muitas dificuldades. Jogar no Brasil e contra o Brasil é algo duplamente difícil para nós".

O velho conhecido dos brasileiros está em sua segunda passagem pelo Palmeiras e no clube já trabalhou com o zagueiro Henrique e também o técnico Luiz Felipe Scolari. Valdivia disse que o Chile precisa melhorar a criação, principalmente por ter apresentado muitas dificuldades em superar a retranca holandesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.