Kai Pfaffenbach/Reuters e Wilton Júnior/Estadão
Kai Pfaffenbach/Reuters e Wilton Júnior/Estadão

Copa repete 2006 ao contar só com europeus e sul-americanos nas quartas

Depois de dois Mundiais com 'intrusos', torneio na Rússia tem apenas representantes dos dois continentes mais tradicionais

Ricardo Magatti, especial para o Estado

03 Julho 2018 | 19h47

Assim como no Mundial de 2006, na Alemanha, quem dá as cartas na Copa do Mundo da Rússia são os europeus e os sul-americanos. Depois de dois Mundiais com "intrusos" nas quartas de final, o torneio voltou a ter apenas seleções da Europa e da América do Sul entre os oito melhores.

+ Resumo da Copa: veja o que aconteceu no 20º dia de Mundial

+ Saiba quais são os jogos e horários das quartas de final

+ Veja quem são os artilheiros da Copa do Mundo

Brasil e Uruguai, detentores de sete títulos - cinco dos brasileiros e dois dos uruguaios - são os representantes da Conmebol por uma vaga na semifinal. Da Europa há dois campeões: França e Inglaterra, cada um com uma conquista. Bélgica, Rússia, Croácia e Suécia buscam o primeiro título.

Como brasileiros e uruguaios estão no mesmo lado da chave, não é possível uma final entre os dois times. Se passarem por seus adversários nas quartas - o time de Neymar e Philippe Coutinho enfrenta a Bélgica e a equipe de Suárez e Cavani mede forças com a França -, eles duelam por uma vaga na grande final.

Do outro lado do chaveamento estão quatro europeus, entre eles três "azarões" e a Inglaterra, que levantou seu único troféu em 1966, quando sediou a Copa. Os ingleses confrontam a Suécia para seguir no torneio, e os anfitriões russos, que fizeram história ao chegar a esta fase da competição pela primeira vez, encaram a Croácia. Dessa forma, certamente haverá um representante da Europa na grande final, marcada para o dia 15, em Moscou.

 

O domínio total das quartas entre europeus e sul-americanos foi quebrado com duas surpresas nas duas últimas edições, mas, no final, contou com soberania europeia. Em 2014, no Brasil, a Costa Rica fez uma campanha histórica ao eliminar Itália e Inglaterra na primeira fase e chegou entre os oito melhores. Os costa-riquenhos deram adeus ao perderem nos pênaltis para a Holanda. Os alemães, que protagonizaram o fatídico 7 a 1 sobre a seleção brasileira, faturou o título diante da Argentina.

Quatro anos antes, na África do Sul, foi a vez de Gana representar o continente africano e chegar entre os oito melhores. Os ganeses fizeram um duelo emocionante com os uruguaios nas quartas e também foram eliminados nos pênaltis. Na partida, Gana esteve a um passo de passar de fase na prorrogação, quando Asamoah Gyan desperdiçou uma penalidade. Naquele ano, a Espanha venceu a Holanda na decisão.

Em 2006, em outra Copa realizada no continente europeu, Brasil e Argentina foram os dois únicos sul-americanos remanescentes nas quartas de final. Alemanha, Itália, Ucrânia, Inglaterra, Portugal e França eram os europeus presentes. Naquele ano, a supremacia foi europeia, já que argentinos e brasileiros não passaram das quartas - a seleção de Ronaldo e Ronaldinho caiu para a França, enquanto o time de Riquelme e Crespo foi derrotada nas penalidades para a Alemanha - e os quatro primeiros colocados foram representantes da Uefa. A Itália conquistou seu tetracampeonato ao bater os franceses nos pênaltis.

Confira abaixo os duelos das quartas de final da Copa da Rússia

Dia 6, sexta-feira

Uruguai x França, às 11 horas (de Brasília), em Nizhny Novgorod

Brasil x Bélgica, às 15 horas, em Kazan

Dia 7, sábado

Suécia x Inglaterra, às 11 horas, em Samara

Rússia x Croácia, às 15 horas, em Sochi

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.