Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Copete entra no segundo tempo, marca e garante vitória do Santos no Paulista

Resultado praticamente classifica equipe da Baixada Santista para as quartas de final do Paulistão

Itamar Cardin, especial para a AE, Estadão Conteudo

25 de março de 2017 | 17h18

O Santos sofreu mais do que o esperado neste sábado. Teve um primeiro tempo apático, pouco criou e parecia que se complicaria contra o Santo André, no estádio Bruno José Daniel, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. Mas, contando com um gol decisivo do colombiano Copete, que entrou apenas aos 20 minutos da etapa final e mudou o panorama do jogo, a equipe de Dorival Júnior venceu por 1 a 0 e está próxima de garantir a classificação às quartas de final da competição.

O resultado deixou o Santos na liderança do Grupo D, com 19 pontos, três a mais do que a Ponte Preta e cinco à frente do Mirassol, que ainda neste sábado enfrenta o Novo Horizontino, fora de casa. Se os visitantes não vencerem, o time de Dorival garante a classificação. Já o Santo André, em terceiro do Grupo C, com 11 pontos, segue lutando contra o rebaixamento.

Na última rodada da primeira fase, o Santos recebe o próprio Novo Horizontino na quarta-feira, mesmo dia em que o Santo André enfrenta o Audax, fora de casa.

O JOGO

Embora entrasse em campo pressionado pela necessidade de um bom resultado, o Santos tinha um importante reforço: afastado desde fevereiro devido a uma fratura no dedo, Vanderlei se recuperou e começou como titular. Zeca, por outro lado, após um exame detectar alto risco de contusão, foi poupado. Jean Mota ganhou a posição.

Já o Santo André, que necessitava do triunfo para se distanciar da zona de rebaixamento, apostou na entrada do lateral Cicinho, ex-Palmeiras, e do meia Guilherme Garré, respectivamente nos lugares de Dudu Vieira e Fernando Neto. O zagueiro Leonardo, após cumprir suspensão, também retornou no lugar de Diogo Borges.

Mas, apesar da importância para os dois times, o jogo começou estudado, em ritmo lento, com poucas jogadas de ataque. O Santos, inclusive, parecia repetir o primeiro tempo da vitória sobre o São Bento, na quarta-feira: dominava a posse de bola e trocava passes na intermediária, mas faltava criatividade para chegar com mais perigo.

Assim, Renato e Thiago Maia organizavam a saída de bola, Lucas Lima aparecia para buscar jogo, os laterais avançavam - sobretudo Jean Mota - e os atacantes pressionavam. Faltava, no entanto, velocidade e triangulações para infiltrar na bem armada defesa do Santo André.

E foi em uma roubada de bola que o Santos chegou pela primeira vez. Bruno Henrique desarmou no meio-campo, deu bom passe e Ricardo Oliveira invadiu a área, mas adiantou muito a bola e chutou sem ângulo, para tranquila defesa de Zé Carlos.

O jogo parecia que se encaminharia insossamente ao intervalo quando, depois dos 40, o Santos criou duas boas chances. A primeira delas veio após nova roubada de bola, agora de Lucas Lima, que carregou e tocou para Vitor Bueno, sozinho, chutar fraco e desperdiçar boa oportunidade. E, já aos 46, Ricardo Oliveira aproveitou sobra do goleiro e, dentro da pequena área, finalizou por cima.

No segundo tempo, porém, o Santos voltou a sofrer com a imobilidade. Dorival Júnior ainda buscou alternativas e colocou os colombianos Vladimir Hernández e Copete. Foi, a princípio, insuficiente. Sem criatividade, preso na marcação adversária, o time só chegou duas vezes até os 26, sem grande perigo. Em ambas, as jogadas foram criadas pela lateral direita. E, nas duas, Ricardo Oliveira concluiu mal.

Mas o jogo, então, começou a mudar. E, sobretudo, porque Copete subiu de produção. Primeiro, aos 27, o colombiano fez grande jogada, driblou vários marcadores e deu belo passe, mas o hoje pouco inspirado Ricardo Oliveira chutou por cima. E, aos 29, aproveitando cruzamento de Lucas Lima, em nova jogada pela lateral direita, ele cabeceou firme e abriu o placar.

A partir daí, com o jogo controlado, o Santos seguiu trocando passes e administrando o ritmo. Conseguiu, assim, mesmo sem grande inspiração, um importante triunfo que o mantém na liderança do Grupo D.


FICHA TÉCNICA

SANTO ANDRÉ 0 x 1 SANTOS

SANTO ANDRÉ - Zé Carlos; Cicinho, Reniê (Diogo Borges), Leonardo e Aelson (Paulinho); Renato, Tiago Ulisses, Guilherme Garré e Serginho (Deivid); Henan e Claudinho. Técnico: Sérgio Soares.

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz (Cléber), Lucas Veríssimo e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno (Vladimir Hernández), Bruno Henrique (Copete) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.

GOL - Copete, aos 29 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Vinicius Gonçalves Dias Araújo.

CARTÃO VERMELHO - Tiago Ulisses (Santo André).

RENDA - R$ 273.780.

PÚBLICO - 9.286 pagantes.

LOCAL - Estádio Bruno José Daniel, em Santo André (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.