Coreia do Sul e Argélia vão ao ataque em busca da sobrevivência

Africanos e asiáticos, ao mesmo tempo em que viram sua motivação se renovar, temem um adeus antes das oitavas de final da Copa

O Estado de S. Paulo

21 de junho de 2014 | 22h10

A Argélia dificultou a vida da favorita Bélgica na estreia com paredão defensivo. Perdeu de virada, por 2 a 1, mas ganhou ânimo depois de ser apontada como um possível saco de pancadas da chave. Não menos animada após dar calor na Rússia (1 a 1) aparece a Coreia do Sul. Neste domingo, às 16h, no Beira-Rio, em Porto Alegre, as seleções tentam provar que o bom futebol do primeiro jogo pode ser repetido e, quem sabe, até sonhar com uma vaga às oitavas de final.

Africanos e asiáticos, ao mesmo tempo em que viram sua motivação se renovar, temem um adeus precoce na Copa do Mundo. Cientes de que a derrota significa o fim de um sonho de muito tempo, eles prometem abrir mão de se concentrar na parte defensiva e ir ao ataque.

Quem for ao Beira-Rio tem tudo pra ver um jogo franco, como tem sido a tônica da Copa, com dois pequenos querendo se agigantar na competição. Vale uma sobrevida no torneio.

Aos argelinos, a classificação que ficou próxima em 1982 quando derrotou a Alemanha (2 a 1) e Chile (3 a 2) na primeira fase e só não avançou pelos critérios de desempate - Áustria e Alemanha avançaram depois de uma vitória, considerada polêmica, por 1 a 0 dos alemães -, ainda remói. 

O objetivo é conseguir um bom resultado para arrastar a disputa por uma vaga para a última rodada, quando enfrenta a Rússia, quinta-feira, na Arena da Baixada, em Curitiba. 

O técnico bósnio Vahid Halilhdozic acredita que, se sua seleção desbancar os sul-coreanos, pode, sim, surpreender os russos - há possibilidade de chegarem à rodada final dependendo do empate para quebrar a série de quedas na primeira fase.

A esperança de avançar da Argélia está deposita sobre os ombros no líder e melhor jogador do elenco, Feghouli, o mais experiente do grupo - ele atua no Valencia, da Espanha.

MADUROS

Os sul-coreanos já têm mais experiência em Mundiais. Em casa, na edição de 2002, foram até as semifinais e ficaram em quarto. Em 2010, caíram nas oitavas. Ou seja: sabem o caminho para a vaga. Agora, tentam provar que, apesar da renovação do grupo, bem mais jovem, ainda podem encarar qualquer equipe.

O técnico Hong Myung Bo está confiante no triunfo. Para isso, treinou por horas finalização. Os gols que faltaram diante dos russos, ele espera ter agora.

E, como encaram o rival em tese mais forte da fase na rodada decisiva, chegar até ela com uma vitória seria imprescindível para “administrar” o jogo contra os empolgados belgas.

Myung Bo já adiantou a escalação dos coreanos, com três atacantes: Heung-Min, Ja-Cheol e Chu-Young. Com força ofensiva, ele espera inaugurar o placar cedo para derrubar um possível paredão argelino. O treinador não acredita que a Argélia vai mudar de postura, mesmo necessitando da vitória. Estratégia que deu certo diante da Rússia, os chutes de longa distância serão arma novamente. Myung Bo pede aos jogadores que não deixem de arriscar.

COREIA DO SUL x ARGÉLIA

COREIA DO SUL - Sung-Ryong; Yong- Lee, Young-Gwon, Suk-Young e Jeung-Ho; Kook-Young, Chung-Yong, Sung-Yueng e Heung-Min; Chu-Young e Ja-Cheol. Técnico: Hong Myung Bo.

ARGÉLIA - M’Bolhi; Medjani, Bougherra, Halliche e Ghoulam; Mostefa, Soudani, Taider e Bentaleb; Feghouli e Mahrez. Técnico: Vahid Halilhdozic

JUIZ - Wilmar Roldan (COL)

LOCAL -  Beira-Rio 

HORÁRIO - 16h

TRANSMISSÃO - Globo, Band, ESPN Brasil, SporTV, Bandsports, Fox Sports

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.