Rick Rycroft/AP
Rick Rycroft/AP

Coreia do Sul encerra jejum de 27 anos e vai à final da Copa da Ásia

Sul-coreanos venceram o Iraque por 2 a 0 e disputam a decisão pela 6ª vez. Na terça, Austrália e Emirados Árabes fazem outra semifinal

Estadão Conteúdo

26 de janeiro de 2015 | 09h09

A Coreia do Sul está de volta à decisão da Copa da Ásia após 27 anos. Nesta segunda-feira, a equipe derrotou o surpreendente Iraque por 2 a 0, na semifinais, em Sydney, na Austrália, e se garantiu na final da competição pela sexta vez em sua história, sendo a primeira desde 1988.

Os sul-coreanos terão a chance de brigar por seu terceiro título no torneio. Eles venceram as duas primeiras edições: em 1956 e 1960, ambas em decisões diante de Israel, quando apenas quatro times participavam da competição. De lá para cá, amargaram três vices: contra o Irã, em 1972, o Kuwait, em 1980, e a Arábia Saudita, em 1988.

Agora, a Coreia do Sul espera para conhecer seu adversário na grande decisão. Participando da competição pela terceira vez, a dona da casa Austrália terá pela frente as zebras dos Emirados Árabes Unidos, que nas quartas de final surpreenderam o Japão. O confronto acontecerá nesta terça, às 7 horas (de Brasília).

Depois de passar pela primeira fase como líder do Grupo A e eliminar o Usbequistão nas quartas, a Coreia chegou como grande favorita para a semifinal desta segunda-feira, e não decepcionou. Logo aos 20 minutos do primeiro tempo, Jung-Hyub Lee aproveitou falta cobrada da direita para cabecear para a rede.

No segundo tempo, o Iraque esqueceu a estratégia defensiva e partiu em busca do empate, mas deixou o contra-ataque para a Coreia, que precisou de somente cinco minutos para matar o jogo. Após bate-rebate dentro da área, a bola sobrou para Young-Gwon Kim, que emendou de primeira, no canto esquerdo do goleiro, que demorou para cair. A partir daí, foi só apertar a marcação e esperar o apito final para comemorar a classificação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.