Coréia tenta manter foco e ignorar problemas de Togo

Os jogadores da Coréia do Sul ficaram mais otimistas com um bom resultado na estréia na Copa do Mundo, terça-feira, diante de Togo, depois da confusão que envolveu a seleção adversária, que perdeu seu técnico, Otto Pfister, mas prometem não deixar o entusiasmo reduzir a concentração da equipe."A organização deles pode ser prejudicada, e isso vai nos ajudar, mas nós tems de estar mentalmente preparados", afirmou o meia Baek Ji-hoon. "Ouvi falar que o problema é de dinheiro, mas isso não vai nos influenciar", assegurou o atacante Lee Chun-soo. "Temos de dar o máximo."O técnico Dick Advocaat acha que não vale a pena abordar o assunto. "Pode ser que ele volte", disse, sobre a atitude de Pfister. Advocaat comandou um treino aberto neste sábado, diante de 1.500 torcedores, e manteve aberto o esquema tático do time entre o 3-4-3 e o 4-3-3. Os jogadores se divertiram com a presença dos torcedores, mas admitiram o estranhamento. "Normalmente nossos treinos são quietos, foi difícil se concentrar", afirmou Ji-hoon.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.