Corinthians: 13º chega e estádio pode sair

O dinheiro do 13º salário caiu mesmo hoje na conta dos jogadores e funcionários do Corinthians. O pagamento só pôde ser feito porque o banqueiro Manoel Félix Cintra Neto, conselheiro do clube e presidente da BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros), avalizou o empréstimo de R$ 2,5 milhões, que serão ressarcidos pelo clube após receber a cota de patrocínio da Nike. Manoel Cintra preside a comissão de empresários que está articulando o movimento para a construção de um estádio para o Corinthians e a reforma da Fazendinha para jogos menores. Alguns empresários já foram contatados pela comissão, mas os entendimentos estão sendo mantidos em segredo pelo fato de o projeto estar em fase embrionária. Ainda não se sabe onde o estádio seria erguido. A comissão encomendou pesquisa de mercado para saber a melhor localização. A pesquisa vai indicar a preferência do torcedor corintiano e a capacidade de público que terá. Mas já se sabe que o estádio seguiria os moldes da Arena da Baixada, em Curitiba. Quem deve erguê-lo é a mesma empresa que construiu o estádio do Atlético-PR. Manoel Félix, de 55 anos, confirmou que está mesmo ajudando o presidente Alberto Dualib no plano de construir o estádio. Mas ele ainda não revela detalhes. Antes de divulgar o projeto na mídia, quer ter a certeza de que conseguirá convencer os empresários de que se trata de um bom negócio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.