Corinthians: 4 desfalques na estréia

O Corinthians estréia neste domingono Campeonato Brasileiro contra o Atlético Mineiro no Pacaembu(18h) nitidamente preocupado com a Taça Libertadores da América.O técnico Geninho confirmou que o lateral Kléber (com dores notornozelo esquerdo), o volante Fabinho (com dores na coxadireita), e os atacantes Gil (com dores na coxa esquerda) eLiedson (com estafa muscular) serão poupados para a partida dequarta-feira contra o Fenix, que pode garantir ao time aprimeira colocação do grupo 8 da competição sul-americana. Assim Roger, Fabrício, Fumagalli e Renato ganham uma vaga na equipe. Geninho até tentou convencer os jornalistas de que asalterações deveram-se exclusivamente a problemas médicos. Maslíderes importantes do grupo, como o zagueiro Fábio Luciano,dimensionaram o real interesse corintiano no momento."Temos que nos preservar ao máximo para enfrentar o Fenixsemana que vem. Por isso, acho certo que alguns atletas sejampoupados. Ao longo da temporada já foi provado que existem peçasde reposição de qualidade. O grupo tem consciência da força quetem. E quero deixar claro que não conta apenas com 11jogadores".Fábio lembrou que, mesmo que o Corinthians não derrote oAtlético, terá mais 45 jogos para se recuperar. "Isso nãosignifica que estamos colocando o Campeonato Brasileiro emsegundo plano. Claro que uma campanha irregular, em umacompetição por pontos corridos, tornará a conquista do títulomais difícil. Mas é inevitável lembrar que faltam poucos diaspara nossa cartada decisiva na Libertadores. Acho saudável queesses quatro jogadores possam descansar para se prepararmelhor".Geninho voltou a demonstrar descrença com a fórmula docampeonato. "Estou temeroso de que o público não se adapte.Será uma competição muito longa, cheia de viagens cansativas".Em seguida, explicou como pretende ver a equipe hoje noPacaembu. "A principal alteração será a colocação do JorgeWagner para cumprir a função do Gil pela esquerda, ao lado deLeandro e Fumagalli. Já o Renato vai funcionar como meia".O treinador negou também que o fato de ter dirigido o Atléticoaté o início desta temporada possa trazer algum dividendo para oseu trabalho. "O time deles mudou muito. Basta dizer que contacom Guilherme e Scheidt, que até outro dia estavam noCorinthians".No discurso dos jogadores, ficou clara a tentativa de minimizaros efeitos negativos causados pela derrota de quarta-feiracontra o Cruz Azul por 3 a 0, pela Libertadores. "Eu nem lembromais daquele jogo", afirmou Jorge Wagner. "O Corinthians estánovamente disputando duas competições e a torcida pode esperar omesmo empenho demonstrado no Campeonato Paulista.Particularmente, hoje estou pensando apenas no Atlético",despistou.Sacrificado na decisão do Paulistão contra o São Paulo comapenas dez minutos de jogo - foi substituído por Roger após aexpulsão de Kléber - o atacante Fumagalli também abordou opotencial da equipe. "O importante é que ganhamos o título. Eaqui todo mundo tem condição de jogar".Já para o volante Fabrício, a preocupação maior estará namarcação de Guilherme. "Se deixar ele sozinho com certeza farágols. Menos mal que o gramado do Pacaembu é menor e facilita amontagem de um esquema mais compacto".Nos bastidores, a diretoria segue correndo atrás de um atacanteexperiente. Neste sábado, surgiu o nome de Allan Dellon, doVitória, que também está negociando com o Palmeiras. Jales, quedisputou o Paulistão pelo América de Rio Preto, e Ricardo Xavier do Atlético Sorocaba, foram oferecidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.