Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Corinthians acumula dívidas de quase R$ 1 bilhão, aponta balanço financeiro do clube

Valores não englobam débitos referentes à construção da Neo Química Arena

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2021 | 17h18

Assim como todos os clubes do Brasil e do mundo, o Corinthians também sofre com os efeitos da pandemia em suas finanças. No último final de semana, o clube do Parque São Jorge divulgou o balanço financeiro de 2020 e os números impressionam: a dívida está na casa dos R$ 957 milhões, ainda sem colocar no cálculo os gastos com a construção de seu estádio em Itaquera. Os números foram analisados pela empresa de consultoria RSM em um documento com 50 páginas.

Comparando com os dados de 2019, houve um aumento de R$ 40 milhões. Estes números mais detalhados estão publicados no site oficial do Corinthians, na área de "Transparência".

Dentre os gastos mais expressivos estão: parcelamento de débitos atrasados, responsável por R$ 300 milhões desta fatia, além de despesas a serem cumpridas, pagamento de fornecedores e direitos de imagens de atletas. Estes três montantes somados totalizam, aproximadamente, R$ 600 milhões. Em 2020, o Corinthians conseguiu arrecadar cerca de R$ 350 milhões, somando venda de jogadores e direitos de transmissão de jogos. Os dois fatores foram severamente afetados pela pandemia do novo coronavírus.

Ao todo, em 2020, o clube alvinegro teve receita bruta de cerca de R$ 474 milhões, sendo R$ 440 milhões provenientes do futebol. Somente Pedrinho, vendido ao Benfica, de Portugal, rendeu aos cofres R$ 117 milhões. Para a negociação, o Corinthians chegou a aceitar a diminuição do valor, que inicialmente era de R$ 131 milhões. Na época, uma variação de 2 milhões de euros. 

No ano passado, o clube também vendeu Júnior Urso, Clayson, André Luis, Gustagol, Pedro Henrique e Carlos Augusto. Os negócios fizeram com que a temporada fosse mais lucrativa em comparação com o ano anterior. Em 2019, a receita com venda de jogadores foi de R$ 45,2 milhões.

O Corinthians tem dívida com boa parte do elenco. Destaque para Cássio (R$ 2,6 milhões), Fagner (R$ 5,4 milhões) e Ramiro (R$ 6,8 milhões). Em relação ao balanço de 2019, porém, o Corinthians conseguiu pagar as dívidas de direitos econômicos de quatro atletas: Boselli (R$ 3,1 milhões), Jean Carlos (R$ 226 mil), Moisés (R$ 227 mil) e Camacho (R$ 180 mil).

O balanço ainda mostra que o patrocínio máster na camisa do Corinthians renderá R$ 84 milhões durante cinco anos de acordo com a Hypera Pharma, sendo R$ 16,8 milhões por temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.