Corinthians ainda não liberou Carlos Alberto para o Flu

O Fluminense já dá como certa a contratação de Carlos Alberto, mas o Corinthians ainda não o liberou. Neste sábado, o clube paulista divulgou uma nota em seu site oficial afirmando que a negociação só será concluída quando "chegarem documentos que a viabilizem".A expectativa dos dirigentes cariocas é que até segunda-feira o jogador possa se apresentar na sede social do clube, nas Laranjeiras.Enquanto isso, no frio da Granja Comary, em Teresópolis, o técnico do Fluminense, Paulo César Gusmão, espera que os jogadores, além de recuperar a forma física, se convençam da importância de formar um grupo unido para lutar por títulos neste ano. E por enquanto tem sido bem sucedido, que o digam as palavras do atacante Alex Dias ao site oficial do clube, neste sábado. "Um grupo vencedor não é formado só por 11 jogadores. O importante é que todos pensem no coletivo, não tem essa de titular e reserva", avisou o atacante, campeão brasileiro com o São Paulo, depois de passar boa parte do ano na reserva. PC aproveitou o gancho e usou como exemplo o volante Fabinho, outro dos 14 reforços contratados pelo Fluminense para a temporada. Titular do Internacional na conquista da Libertadores, o jogador perdeu espaço no segundo semestre e não foi aproveitado pelo técnico Abel Braga na conquista da Copa do Mundo de Clubes da Fifa. "Nem por isso ele deixou de ser campeão. É pensando na coletividade que os grandes campeões são formados", lembrou o técnico. Fabinho concordou com o novo chefe. "Hoje, o futebol não comporta mais o lado individual. Estamos fazendo um investimento para colher os frutos lá na frente", avaliou. União foi um artigo raro no Fluminense de 2006, atingido por brigas e troca da acusações entre jogadores formados nas categorias de base, que sofriam com atraso nos salários, e medalhões contratados com o aval da patrocinadora Unimed, que recebiam em dia - entre eles, Tuta, Petkovic e Rogério, que não estão mais nas Laranjeiras. Para não ferir tais suscetibilidades, o recém-chegado Rafael Moura, que chegou do Corinthians, sugeriu a PC Gusmão escalar três atacantes, para não ter problemas de encaixar os reforços - além dele e de Alex Dias, também veio Soares, destaque do Brasileirão no Figueirense. "Quem ganha com isso é o Fluminense e o PC vai ter uma boa dor de cabeça para escolher os melhores", afirmou o atacante, muito criticado no Corinthians pelo excesso de gols perdidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.