Corinthians ainda negocia para ter o volante Fabinho

Vice-presidente do clube espera por conclusão da negociação na próxima segunda-feira

Vítor Marques, Jornal da Tarde

18 de janeiro de 2008 | 20h18

Divergências na negociação com o volante Fabinho, do Toulouse, da França, adiaram o anúncio da contratação do jogador, o que deve ocorrer a partir de segunda-feira, segundo o vice-presidente de futebol do Corinthians, Mário Gobbi.Veja também: Dentinho fala sobre sua recuperação no Corinthians Andrés Sanchez analisa o futuro do Corinthians Mano Menezes destaca organização tática do Corinthians Jogadores festejam 'outro Corinthians' após vitória"O pagamento de luvas, o prazo de contrato, o valor do passe do Ratinho, tudo isso está pendente", disse o dirigente do clube, confirmando o empréstimo do atual lateral-direito corintiano ao clube francês.Embora o técnico Mano Menezes tenha reiterado que gostaria de manter Ratinho no elenco, o vice-presidente de futebol disse que os valores da transação prevaleceram em detrimento do critério técnico. "Futebol é dinheiro, é business, é contrato. Será bom para o Corinthians, para o jogador, para o Toulouse", justificou Mário Gobbi. "Não é só o Mano quem decide", completou, irritado, o dirigente. "Ainda temos o Coelho."O Corinthians cederia Eduardo Ratinho aos franceses por um ano de contrato, com preço do passe fixado em 2,5 milhões (R$ 6,4 milhões). O Toulouse, porém, quer pagar menos. Gobbi disse também que o elenco está "saneado", com as saídas do volante Ricardinho e de Clodoaldo (que foi para a Coréia). O 13.º REFORÇOO volante Bóvio foi apresentado nesta sexta-feira, sem muita festa, como em outras contratações. Mesmo assim, o ex-santista promete muita garra para ajudar a equipe neste ano. "Espero fazer um bom papel no Corinthians e ajudar da melhor forma possível. Tenho uma nova chance no futebol brasileiro e espero aproveitá-la", disse o jogador, que estava encostado no Catania, da Itália.

Tudo o que sabemos sobre:
Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.