Corinthians apela a D. Paul Evaristo Arns

É um engano pensar que o Corinthians não tem motivação alguma para o jogo deste sábado contra o Paraná, às 18 horas, no Pacaembu. Em primeiro lugar, o time joga em casa e está devendo à sua torcida: é hora não de pagar as contas, mas de pelo menos minimizar a desastrosa campanha no Brasileiro. ?A fiel está merecendo uma atuação de gala?, disse o volante Vampeta. ?Vamos tentar vencer para fechar o ano com chave de ouro e com uma vaga na Sul-Americana?, completou, revelando outro objetivo do grupo.Vampeta, aliás, tem motivos de sobra para ver essa partida como decisiva para sua permanência na equipe, esta e todas as que disputar. Afinal, daqui a exatos 25 dias termina seu contrato com o clube. Quem ficou quase todo o ano parado por causa de uma contusão no joelho, andou dando infelizes declarações contra a diretoria ? inclusive pela televisão, em rede nacional ?, reclamando do atraso de salários, tem sim de encarar o jogo como final de Copa do Mundo. O volante quer ficar, não esconde de ninguém isso. Nesta sexta-feira, inclusive, apelou: pediu intervenção da Igreja Católica em sua causa.Prestes a lançar um livro sobre o clube, ?Corintiano Graças a Deus?, o cardeal-arcebispo de São Paulo, dom Paulo Evaristo Arns, esteve no Parque São Jorge para visitar o presidente Alberto Dualib e, como fiel torcedor, fazer suas reivindicações. Antes, porém, ouviu de Vampeta um pedido para convencer Dualib a mantê-lo no elenco. ?Pede para ele renovar o meu contrato do mesmo jeito?, disse o volante.Arns preferiu não opinar sobre o assunto, mas deixou seu recado ao presidente: ?Para ganhar, precisa contratar gente boa?, sentenciou.Para a partida deste sábado, o técnico Juninho Fonseca escalou os garotos Jô e Betão. Para a carreira dos dois, aliás, o jogo pode ser considerado essencial, sabendo-se que na virada do ano o elenco será reestruturado. Jô entra no lugar de Gil, machucado, e Betão, na posição de Marquinhos, suspenso. No meio-campo, Renato briga por uma vaga com Robert e Jamelli.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.