Corinthians aposta na mística para superar o Goiás

Cinco anos depois da conquista do tetracampeonato brasileiro, o Corinthians volta ao palco daquela volta olímpica, o estádio Serra Dourada, em Goiânia, para encarar o mesmo Goiás, com chance de nova conquista. Mas o cenário é bem diferente da época em que contava com os galácticos Tevez, Mascherano, Roger e Carlos Alberto e podia até perder para erguer a taça, o que aconteceu num 3 a 2 para os donos da casa. Neste domingo, a partir das 17 horas, o time alvinegro entra em campo obrigado a vencer e ainda com olhares para o Rio de Janeiro, onde o líder Fluminense não pode bater o rebaixado Guarani. Ganhar significa ter chances de soltar o grito de campeão ou, na pior das hipóteses, garantir o segundo lugar e escapar da repescagem da Libertadores de 2011 diante de um clube da Colômbia.

FÁBIO HECICO, Agência Estado

05 de dezembro de 2010 | 08h23

A tarefa corintiana no Serra Dourada deve ser facilitada por contar com todos os titulares e pelo fato de o Goiás, já rebaixado, estar com olhos apenas para a decisão da Copa Sul-Americana e adiantar a escalação de time com reservas e juvenis. Restaria, então, contar com a ajudinha de um Guarani desanimado, cheio de desfalques e sob pressão da própria torcida para não buscar nem o empate diante do Fluminense.

"As conquistas do Corinthians são sempre no sufoco, no suor e no último momento, quem sabe domingo não seja assim", afirmou, confiante na mística corintiana, o presidente Andrés Sanchez, diretor de futebol no título de 2005. "Temos de acreditar, ainda tem um jogo, uma rodada. Com todo respeito aos clubes, mas ninguém esperava o Fluminense empatar com o Goiás, o Corinthians perder do Atlético Goianiense ou o Cruzeiro sofrer com o Guarani".

Andrés, ao lado de diretores do clube, estará nas arquibancadas do Serra Dourada empurrando o time para cima do Goiás. Ele fará coro a esperados 36 mil alvinegros no estádio. Todos no clube passaram a semana apostando num discurso otimista. Como o Guarani não é rival da mesma forma que São Paulo e Palmeiras, os corintianos têm fé em ajuda dos campineiros. No primeiro turno eles venceram o Fluminense por 2 a 1.

"Não penso em mais nada, a não ser no domingo, vai ser difícil, mas estaremos preparados pra fazermos um grande jogo", postou em seu Twitter o volante Elias, de volta após cumprir suspensão diante do Vasco. "Em 2005 estava um pouco mais fácil. Era vencer o nosso jogo. Agora dependemos de um tropeço. Lembro que não fui para o banco, mas estava com o elenco", endossou o goleiro Júlio César, que pode ser bicampeão. "Mas sou brasileiro e não desisto nunca".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.