Corinthians aposta no profissionalismo de Leão para classificar

Alvinegro enfrenta o Noroeste, em Bauru, precisando vencer e torce por vitória do Santos para ir às semifinais

Fabio Hecico, O Estado de S. Paulo

06 de abril de 2008 | 07h58

O profissionalismo de Emerson Leão é uma grande motivação do Corinthians para ver o time nas semifinais do Paulistão. O treinador santista exige, sempre, triunfos de suas equipes. E se o Santos ao menos empatar com a Ponte Preta e os corintianos ganharem do Noroeste, às 16 horas, em Bauru (com transmissão online aqui do estadao.com.br), a vaga é da equipe de Mano Menezes. Tropeço do São Paulo frente o Juventus também serve, porém ninguém acredita nesta hipótese.Veja também: Veja as chances de classificação e rebaixamento no Paulistão Simule a classificação final da primeira fase Quais times devem se classificar para a semifinal? TV Estadão: Análise da reta final do Campeonato Paulista Classificação"Outros (técnicos) estão fazendo papel que fiz na época (última rodada do Brasileiro de 2007) e espero que sejam tão sérios como fui", observa Mano. Refere-se ao confronto entre Grêmio e Corinthians, no qual não admitiu que seu time entregasse o duelo para salvar o time alvinegro.Leão, também naquela rodada decisiva, não atendeu ao apelo dos atleticanos de entregar o resultado (como querem os santistas agora). E, em pleno Palestra Itália, derrubou o Palmeiras da Copa Libertadores com vitória por 3 a 1. O Atlético-MG não lutava por nada, mas foi sério, acabou ganhando jogo e dando a classificação justamente ao rival Cruzeiro.E, mesmo com o Santos poupando alguns titulares, Mano ainda confia no adversário. "Todos têm liberdade de optar por essa ou aquela equipe", enfatiza. "Os times buscam suas prioridades, como o Santos definiu para a Libertadores. Mas a seriedade está em como vai se portar, independente da formação. Temos certeza que vai acontecer o que esperamos", diz.Então a vaga está garantida? "Não é bem assim. De nada adianta ficar pensando no resultado paralelo se não fizermos nossa parte Temos de atuar com seriedade, pois teremos um jogo extremamente difícil", afirma Mano.Confiança num rival, exemplo de superação em outro. O treinador desta vez lembrou do finlandês Kimi Raikkonen e da decisão da F-1 de 2007. Na época, o piloto da Ferrari só seria campeão se ganhasse em Interlagos e Lewis Hamilton, da McLaren, acabasse de sexto para baixo e seu companheiro, Fernando Alonso, não cruzasse em segundo. Conseguiu. "Hoje somos o Raikkonen e esperamos ter a mesma sorte dele."O goleiro Felipe também está fazendo figas por bom resultado do Santos. E já manda o recado. "Os outros três (que vão se classificar) já estão muito preocupados em nos pegar."

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansPaulistão A-1Noroeste

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.