Bruno Teixeira/Agência Corinthians
Bruno Teixeira/Agência Corinthians

Com recorde de público, Corinthians atropela São Paulo e ganha Paulista feminino

Diante de quase 30 mil torcedores, equipe alvinegra conquista o título estadual pela primeira vez em sua história

Redação, Estadão Conteúdo

16 de novembro de 2019 | 13h22

Com mais uma atuação avassaladora, o Corinthians sagrou-se pela primeira vez campeão paulista feminino ao bater o São Paulo por 3 a 0, neste sábado, em Itaquera. A equipe alvinegra exibiu enorme superioridade sobre as demais participantes, já que venceu simplesmente todos os 20 jogos que disputou na competição.

O jogo foi um marco histórico para o futebol feminino do Brasil: a Arena Corinthians recebeu 28.862 pessoas (apenas corintianos, já que era uma partida de torcida única), recorde de público para um duelo entre clubes no País.

Diante do São Paulo, o Corinthians marcou os últimos três dos 67 gols anotados (com somente sete sofridos) no torneio. No primeiro jogo contra as são-paulinas, há duas semanas, no Morumbi, o time alvinegro havia vencido por 1 a 0.

Azarão na decisão do Paulista, o São Paulo viveu grande ascesnsão na atual temporada. O time tricolor chegou da Série A-2, alcançou a terceira final de campeonato no ano e tentava a sua terceira taça estadual - vencera em 1997 e 1999.

No primeiro tempo, o Corinthians simplesmente não parecia ter a vantagem do empate. Embaladas por sua torcida, as atuais bicampeãs da Libertadores da América partiram para o ataque.

Logo aos quatro minutos de partida, Victoria Albuquerque fez um belo gol. Ela ganhou na velocidade da zaga rival e bateu de cobertura para vencer a goleira Carla e abrir o placar da decisão.

Melhores durante boa parte da primeira etapa, as comandadas do técnico Arthur Elias voltaram com ritmo semelhante para o segundo tempo. Em um ótimo contra-ataque, Juliete ampliou a vantagem corintiana, aproveitando assistência de Milene.

Com sua melhor jogadora, a atacante Cristiane, apagada na partida, o São Paulo até buscou se lançar ao ataque para reagir a tempo, mas foi o Corinthians que acabou tendo as melhores chances para marcar. Na última delas, aos 35, Victoria Albuquerque devolveu a gentileza a Milene em jogada que acabou no fundo da rede, fechando a conta e sacramentando o inédito título corintiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.