Corinthians avisa: cartão dá multa

O Corinthians enfrenta o Vitória, neste sábado, às 20h30, no Pacaembu, sob dupla responsabilidade. De um lado, o time precisa da vitória para manter o sonho de classificação para a Copa Libertadores. De outro, seus jogadores estão proibidos de reclamar da arbitragem. Quem levar cartão amarelo por reclamação será punido com uma multa em dinheiro. A idéia partiu do técnico Tite, que não vai mais tolerar esse tipo de coisa. "As reclamações contra a arbitragem, além de provocar cartões amarelos desnecessários, prejudicam o time", assinalou o técnico. "Contra o Criciúma, nós começamos a errar passes e cabeceios porque a equipe se desconcentrou da partida por causa das reclamações. Não vou tolerar mais isso".Os jogadores ficaram sabendo da decisão por intermédio do próprio Tite. Antes do treino, o técnico reuniu o grupo no centro de campo e falou por 20 minutos. Na verdade, foi um verdadeiro sermão. Tite não fez a menor questão de esconder o assunto da imprensa. Após o treino, ainda revelou que será dele a responsabilidade de avaliar cada cartão amarelo recebido por reclamação "Só estou pensando naquilo que será melhor para o Corinthians", justificou o treinador.Segundo Tite, se os seus jogadores deixarem a arbitragem de lado, as chances de vencer o Vitória serão muito maiores. O técnico, aliás, reservou um capítulo à parte para o adversário. Ele não espera uma retranca hoje, no Pacaembu. "Pela qualidade do time e pela necessidade de somar pontos, eu acho até que o Vitória deva assumir uma postura bem ofensiva".Na visão do técnico, os jogadores mais perigosos do time baiano são os atacantes, Obina e Edílson. "Esses dois fazem a diferença. Por isso, precisam ser vigiados com muita atenção". Além deles, pede cuidado com Alex Alves e com o bom conjunto do time dirigido por Evaristo de Macedo. "O Vitória passou por um momento ruim mas já está em ascensão outra vez. E vem de uma boa vitória sobre o Atlético-MG. Não podemos esquecer que o Corinthians foi eliminado da Copa do Brasil pelo Vitória", acrescenta o chefe.A boa notícia é a volta do atacante Gil, após cumprir a suspensão automática pelo terceiro cartão amarelo. Além dele, Edson também reassume a lateral-direita porque Coelho também foi punido com o terceiro amarelo contra o Criciúma. Tite resolveu ainda bancar a permanência de Filipe Alvim no meio-de-campo e a de Jô no ataque, mesmo sabendo que o atacante não marca há várias rodadas - desde o clássico diante do Palmeiras, em agosto. "Ele foi bem e merece continuar na equipe", sintetiza o técnico. "Às vezes você não faz gols mas joga bem", acrescenta o próprio Jô. "Eu sei que o gol vai sair, mais cedo ou mais tarde. Principalmente se eu continuar jogando bem".Outra polêmica no Parque São Jorge foi em relação à decisão da CBF, de não adiar a rodada. Tite era favorável ao adiamento. "No meu entendimento, não deveria haver rodada neste final de semana". Já o zagueiro Ânderson pensa diferente. "Tinha de haver jogo, sim. A vida prossegue. É claro que todos nós sentimos a morte do Serginho mas eu acho quem mais vai sentir são os jogadores do São Caetano, que tinham uma convivência diária com ele".De sua parte, o vice-presidente de Futebol, Antonio Roque Citadini, sugeriu uma discussão bem mais abrangente sobre um mito no futebol brasileiro: o alcoolismo. Nós somos muito hipócritas. O Maradona cheira e o Garrincha morreu de pinga. A morte do Serginho foi uma fatalidade. No lugar de discutir problemas cardíacos, tínhamos de nos preocupar com questões muito mais sérias".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.