Corinthians avisa que não libera Tite para seleção brasileira

Para contratação, clube exige o pagamento de todos os salários do técnico até o fim do contrato

VITOR MARQUES, Agência Estado

23 de novembro de 2012 | 19h01

SÃO PAULO - Respaldado pelo ótimo trabalho que vem fazendo no Corinthians, Tite surge como um dos favoritos para substituir o demitido Mano Menezes no comando da seleção brasileira. Mas a diretoria corintiana tratou de avisar nesta sexta-feira que não libera o treinador caso ele seja convidado pela CBF para assumir o cargo, a menos que a entidade pague o valor de R$ 5 milhões referente ao que o treinador receberia até o término de seu contrato no Corinthians em dezembro de 2013.

Tite deveria dar uma entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, véspera do clássico contra o Santos pelo Brasileirão. Mas, depois do anúncio da demissão de Mano, a diretoria do Corinthians achou melhor ele não falar com a imprensa, justamente para evitar o tema seleção e as especulações sobre um possível convite.

Assim, o diretor de futebol do clube, Roberto de Andrade, foi quem atendeu a imprensa na tarde desta sexta-feira no CT do Parque Ecológico. E ele endureceu o discurso, ressaltando que Tite tem contrato até dezembro do ano que vem, que vai cumprir o compromisso até o final e que o Corinthians não vai liberá-lo.

"Quando acontece isso (a demissão do técnico da seleção), a especulação é grande em tornos de alguns nomes. Se surgir (um convite para Tite) lá na frente, talvez aí a gente sente e converse, mas o Corinthians não libera seu treinador para trabalhar na seleção brasileira", avisou Roberto de Andrade.

O dirigente também lembrou que o Corinthians já foi prejudicado quando liberou Mano Menezes para assumir o comando da seleção brasileira em julho de 2010. "O Corinthians abriu mão uma vez. Isto tem um custo ao clube, não digo financeiro. Desta vez, não abriremos mão", garantiu Roberto de Andrade.

Apesar de ter escapado da entrevista coletiva que estava programada no Corinthians, Tite deu uma rápida declaração para a rádio Jovem Pan na tarde desta sexta-feira. Perguntado se aceitaria comandar a seleção caso fosse convidado, ele deu uma resposta enigmática: "Que Papai do Céu me ilumine".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansTite

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.