Divulgação/ Benfica
Divulgação/ Benfica

Corinthians bate meta orçamentária com venda de Pedrinho ao Benfica

Clube previa arrecadar R$ 66 milhões na atual temporada com a negociação de jogadores

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2020 | 17h32

A venda de Pedrinho para o Benfica fez o Corinthians bater uma das metas previstas no orçamento de 2020. O clube estimou arrecadar R$ 66 milhões com a negociação de jogadores na atual temporada. O clube português pagou 20 milhões de euros (R$ 105 milhões) pelo meia-atacante 

O Corinthians possui 70% dos direitos econômicos do jogador, enquanto os outros 30% pertencem ao atleta. Ou seja, o clube alvinegro deve receber cerca de R$ 70 milhões pela transação. A saída do atual camisa 10 deixa a atual diretoria mais esperançosa em não fechar pelo terceiro ano consecutivo no vermelho. A meta é praticamente zerar as contas com pequeno superávit de R$ 40 mil. 

O presidente Andrés Sanchez ainda não divulgou os números de 2019, mas a expectativa era ter prejuízo de R$ 144 milhões. O Conselho Deliberativo do Corinthians precisa aprovar os gastos de 2019. A reunião que seria realizada em dezembro foi adiada por Andrés, pois diversos conselheiros não conseguiram chegar a tempo por causa da forte chuva que atingiu a cidade de São Paulo naquela data.

Em 2018, o Corinthians já terminou no negativo, em R$ 18,7 milhões. No ciclo de planejamento elaborado para 2019 a projeção era fechar no positivo em R$ 650 mil. Para isso, o clube esperava arrecadar R$ 240 milhões com direitos de TV e receber R$ 54 milhões com a venda de atletas.

Pedrinho se despedirá do Corinthians após o Campeonato Paulista. O meia tem 21 anos e é formado nas categorias de base do Corinthians. Ele subiu ao elenco profissional em 2017, após ter conquistado a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Ele soma quatro títulos pelo profissional: um Campeonato Brasileiro (2017) e três Paulistas (2017, 2018 e 2019).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.