Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

Corinthians bate o Vitória por 2 a 0 e entra no G-4 pela primeira vez

Há seis jogos sem perder, o time corintiano alcançou pela primeira vez a zona da Libertadores, com 21 pontos

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

11 de agosto de 2013 | 17h59

SÃO PAULO - O

O JOGO

Sem Guerrero (na seleção peruana), Renato Augusto (poupado) e Paulo André (suspenso), o Corinthians entrou em campo com Felipe, Emerson e Alexandre Pato como titulares.

Mas nem deu tempo de a equipe da casa reclamar do desentrosamento. Aos 6 minutos, Cáceres cortou muito mal um cruzamento vindo da direita e deu a bola nos pés de Ralf. O volante arriscou forte, de primeira. O chute foi em cima de Wilson, que aceitou.

Com o artilheiro Maxi Biancucchi bem marcado, o Vitória dava pouco trabalho à zaga corintiana. Em todo o primeiro tempo, foram apenas duas chances reais. Numa, Vander recebeu bom cruzamento na área, mas pegou muito mal na bola e rebateu para trás. Fabrício assustou numa cobrança de falta, mas a batida passou à esquerda do gol de Cássio.

Melhor corintiano no jogo, Emerson protagonizou o primeiro lance polêmico do jogo. Aos 43 minutos, Pato arriscou de longe e Wilson bateu roupa. Emerson chegou na bola antes que o goleiro, que esticou a mão e pegaria o pé do atacante para fazer pênalti. Este, porém, se jogou antes. O árbitro Elmo Rezende apontou pênalti, viu que o auxiliar avisava que nada foi, e mudou de ideia.

"Errar é humano. Todos nós erramos, só que precisa ter um pouco mais de atenção porque ninguém aqui está de brincadeira", disse Emerson, na saída do gramado, reclamando do trabalho do árbitro. "Toquei no pé dele, mas um toquinho que não foi suficiente para derrubar ele. Não foi pênalti", garantiu Wilson.

Logo o segundo tempo começou e mais uma polêmica surgiu. Aos 5 minutos, Pato tentou driblar Mansur na área, mas o zagueiro se jogou na bola e fez o desarme. O árbitro viu que a bola bateu duas vezes na mão do jogador do time baiano quando este estava no chão. Anotou pênalti, que Pato bateu com perfeição para fazer 2 a 0.

A reclamação dos baianos ficaria maior aos 13 minutos, quando Mansur invadiu a área, foi desarmado por Edenílson e se jogou. Elmo novamente apontou pênalti e mudou de ideia numa fração de segundos. De novo foi convencido pelo auxiliar que fica atrás da linha de fundo, levando Caio Júnior à loucura.

O Vitória, porém, não fez por merecer sequer o gol de honra. Já o Corinthians criou chances para fazer o terceiro e só não ampliou por conta da falta de pontaria de Romarinho, que desperdiçou duas chances. No finalzinho, Cássio trabalhou bem e fez as suas duas únicas defesas no jogo.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 2 X 0 VITÓRIA

CORINTHIANS - Cássio; Edenílson, Felipe, Gil e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Danilo e Emerson (Léo); Romarinho (Ibson) e Alexandre Pato (Douglas). Técnico - Tite.

VITÓRIA - Wilson; Gabriel Paulista, Victor Ramos (Luiz Alberto), Fabrício e Danilo Tarracha (Mansur); Michel (Renato Cajá), Luis Cáceres, Vander e Camacho; Maxi Biancucchi e Rômulo. Técnico - Caio Júnior.

GOL - Ralf, aos 6 minutos do primeiro tempo, e Alexandre Pato (de pênalti), aos 6 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Elmo Alves Rezende Cunha (GO).

CARTÕES AMARELOS - Emerson, Michel e Victor Ramos.

RENDA -R$ 849.836,00.

PÚBLICO - 25.603 pagantes.

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.