Corinthians bate Oeste e quebra jejum de seis jogos sem vencer

Com Jadson decisivo, clube vira diante do Oeste fora de casa na busca por recuperação no Paulista

Vítor Marques, Agência Estado

20 de fevereiro de 2014 | 00h06

SÃO PAULO - Aos dois minutos, um susto: gol do Oeste. Mas parece que acabou a fase ruim do Corinthians. Carregado por Jadson, o time virou o jogo para 2 a 1, no estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto (SP), reencontrou a vitória depois de seis jogos e voltou à briga no Campeonato Paulista. A distância para o Ituano, após a nona rodada, caiu de sete para quatro pontos (15 a 11), graças à vitória do Palmeiras.

Portanto, o time de Mano Menezes pode sonhar com a classificação às quartas de final. Ainda tem seis jogos para isso. Outro fator positivo: o Corinthians não marcava dois gols em um jogo desde a primeira rodada, na vitória contra a Portuguesa por 2 a 1, no Canindé.

A camisa 10 caiu bem em Jadson. Em dois jogos, ele já é o melhor jogador do Corinthians. É o meia de ligação mais criativo e inteligente do time. Sem ele, provavelmente, os 45 minutos iniciais terminariam de um outra forma, afinal o Oeste saiu na frente e controlou o jogo ao menos por 25 minutos.

Quando Mano Menezes ainda se ajeitava no banco de reservas, viu o seu time sofrer mais um gol, o 14.º em 9 jogos, naquele que já é problema crônico de sua equipe: a bola enfiada por trás dos laterais. Uendel e Felipe é uma combinação que o desempenho em campo comprova que não funciona. Não pela tal fama de azarado do zagueiro, mas pelo espaço entre ele e o lateral-esquerdo. João Denoni invadiu a área, cruzou rasteiro e Lelê, sozinho, livre de marcação, fez 1 a 0.

No minuto seguinte ao gol, feito aos dois minutos, Felipe fincou terreno na direita, por onde joga Fagner. Gil ficou pela esquerda. O Corinthians sentiu o baque. Passou a ter dificuldades de criar jogadas e sofreu contra-ataques perigosos. São erros de times desesperados e que estão pressionados a vencer. Se perdesse, poderia terminar a rodada na zona de rebaixamento, o que só pioraria as coisas para Mano Menezes.

O esquema com dois meias de ligação foi uma decisão acertada. Mas até a metade do primeiro tempo Jadson não conseguia encaixar uma jogada pelo lado esquerdo, Danilo estava apagado e Romarinho tinha dificuldade em sair da marcação. A consequência destes erros era que Guerrero não conseguia prender a bola na frente.

O jogo fluiu mais quando Jadson caiu pelo setor central do campo. Ele estava no lugar certo quando recebeu a bola de Gil. Com um toque de letra, "matou" três marcadores e fez a bola chegar a Romarinho, que acertou um raro chute de fora da área: 1 a 1, aos 27 minutos.

Aliviado, o Corinthians acalmou o jogo, passou a tomar contra da partida e parou de correr riscos desnecessários. Tomou uma forma de time. Jadson roubou uma bola e Guerrero quase virou. Aos 42 minutos, o camisa 10 resolveu: acertou um chute de longe, no mesmo canto que Romarinho tinha aberto o placar.

No segundo tempo, o Corinthians confirmou a vitória. O time corrigiu as falhas defensivas, de cobertura, ainda que Fagner tenha cometido uma falha quase crucial, de linha de impedimento. Felipe se recuperou e evitou o que seria o gol de empate.

O pecado do time de Mano Menezes foi ter levado os 15 minutos finais em banho-maria. A entrada de Paulinho no lugar de Romarinho foi uma tentativa de dar mais gás ao time. Mas aquela situação limite, de assegurar o 2 a 1 até o fim, é sempre preocupante.

No sábado, o Corinthians volta a campo, às 21 horas, no Pacaembu, para enfrentar o Rio Claro. Emerson, recuperado de uma pequena cirurgia de retirada de um abscesso, poderá voltar e Mano Menezes terá a chance de mudar o ataque. O que o técnico não pode mexer mais é na formação com dois meias.

FICHA TÉCNICA

OESTE 1 x 2 CORINTHIANS

OESTE - Fernando Leal; Arnaldo, Dezinho, Ligger e Fernandinho; Adriano, João Denoni, Wagninho (Sassá) e Piauí (Dênis); Lelê e Jheimy (Marcos Paraná). Técnico: Sérgio Guedes.

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Gil, Felipe e Uendel; Ralf, Bruno Henrique, Jadson (Zé Paulo) e Danilo; Romarinho (Paulinho) e Guerrero (Rodriguinho). Técnico: Mano Menezes.

GOLS - Lelê, aos 2, Romarinho, aos 27, e Jadson, aos 42 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Marcos Paraná, Lelê e Fernandinho (Oeste); Uendel (Corinthians).

ÁRBITRO - Luiz Vanderlei Martinucho.

RENDA - R$ 569.005,00.

PÚBLICO - 22.148 pagantes.

LOCAL - Estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.