Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Corinthians bate São Paulo novamente e amplia tabu

Vitória garante sequência de 13 jogos sem derrotas para o Tricolor

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

08 Março 2015 | 18h08

Fora de casa, o Corinthians fez novamente o São Paulo de vítima e manteve o tabu de não perder no Morumbi desde 2007. Após a vitória de ontem por 1 a 0, pelo Campeonato Paulista, já são 13 partidas seguidas, com seis vitórias alvinegras e sete empates. O Tricolor até poderia ter tido melhor sorte se o capitão Rogério Ceni não tivesse desperdiçado uma cobrança de pênalti. Além do fraco público, o duelo ficou marcado pela fraca atuação do juiz Leandro Bizzio Marinho.

A partida começou com o São Paulo mais incisivo, tomando a iniciativa e mostrando uma postura diferente em relação ao primeiro clássico entre as equipes na temporada, quando praticamente viu o Corinthians jogar. Com o argentino Centurión no ataque, os donos da casa passaram a investir em jogadas de profundidade e deram muito trabalho para a defesa rival.

Só que aos 11, Guerrero recebeu a bola pela direita e, diante da marcação de Edson Silva, cruzou para a área. Os jogadores do São Paulo ficaram olhando e Danilo pegou de primeira, de pé direito, abrindo o placar. A partir daí, o Corinthians posicionou um caminhão em seu campo, com dez jogadores atrás da linha de meio de campo e deixando apenas Guerrero na frente. Se já estava complicado para o São Paulo, ficou ainda pior.

O ímpeto inicial do Tricolor também diminuiu um pouco, pois o time errava muitos passes e desperdiçava chances na frente da área. Outro aspecto negativo foi a quantidade de vezes que seus atletas ficaram impedidos nas jogadas. Do outro lado, o Corinthians cozinhava o jogo e deixava o tempo passar. Também fica esperando o melhor momento para dar um bote. Foi assim com Elias, aos 22, que chutou e Rogério Ceni espalmou.

Centurión continuava incomodando e por pouco não igualou o marcador na metade do período. Ele recebeu um cruzamento na direita, chutou e Cássio fez uma defesa incrível. No rebote, Denilson mandou para longe. Nesse momento o São Paulo pressionava, então Emerson Sheik deu uma entrada dura em Bruno e tomou só amarelo. Houve muita confusão, empurrões dos dois lados, cartões ainda para Ganso - que deveria ter sido expulso por ironizar o árbitro batendo palmas - e Gil. Com isso, o jogo esfriou e o Corinthians ficou com a faca e o queijo nas mãos novamente.

Sem pulso, o juiz Leandro Bizzio Marinho deixava a desejar. Centurión, por exemplo, foi caçado em campo e nada foi feito. Fagner cansou de fazer faltas e não foi punido. Mas a gota d'água veio no segundo tempo, quando ele marcou mão na bola de Gil em um chute de Michel Bastos - o corintiano tentou se proteger da bolada. Primeiramente ele marcou fora da área, depois marcou pênalti. Como já tinha amarelo, Gil foi expulso, deixando o Corinthians com um a menos. Na cobrança, Rogério Ceni chutou forte, a bola bateu na perna de Cássio, no travessão e não entrou. O capitão são-paulino voltou cabisbaixo para o gol enquanto a Fiel torcida comemorava.

SÃO PAULO 0 x 1 CORINTHIANS

Gol: Danilo, aos 11 minutos do primeiro tempo.

SÃO PAULO (4-4-2): Rogério Ceni; Bruno, Toloi, Edson Silva e Reinaldo (Alan Kardec); Denilson, Souza (Cafu), Ganso e Michel Bastos; Centurión e Luis Fabiano. Técnico: Muricy Ramalho.

CORINTHIANS (4-5-1): Cássio; Fagner (Edílson), Felipe, Gil e Uendel; Ralf, Elias, Jadson e Danilo (Edu Dracena); Emerson (Cristian) e Guerrero. Técnico: Tite.

Juiz: Leandro Bizzio Marinho.

Cartão vermelho: Gil.

Cartões amarelos: Emerson, Ganso, Gil, Reinaldo, Rafael Toloi e Edílson.

Público: 18.720 pagantes.

Renda: R$ 817.160,00.

Local: Morumbi, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.