Corinthians bobeia no final e cede empate ao Atlético-PR no Brasileirão

Time do técnico Mano Menezes acumula três jogos sem vitória e fica na parte intermediária da tabela

Vítor Marques, O Estado de S. Paulo

22 de maio de 2014 | 00h09

SÃO PAULO - O Corinthians deixou a vitória escapar pelas mãos e por pouco não sofreu uma virada incrível, nesta quarta-feira, no estádio do Canindé, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Foi o suficiente para que uma boa parte dos torcedores pedisse a saída do técnico Mano Menezes. Seu time vencia o Atlético Paranaense por 1 a 0 até os 40 minutos do segundo tempo, quando Douglas, que perdera um gol dois minutos antes, empatou. E ainda houve tempo de Cássio ser salvo pelo travessão, em um chute de fora da área disparado pelo mesmo Douglas, atacante que entrou no lugar de Éderson e mudou a história do jogo.

Agora o Corinthians acumula três jogos sem vitória (dois empates e uma derrota) pelo Brasileirão e continua na parte intermediária da tabela de classificação, com 9 pontos. "Quem quer ser campeão não pode vacilar em casa", disse, com lucidez, o goleiro Cássio.

Os problemas do Corinthians continuam o mesmo. Mas nem mesmo com três meias o time se transforma em uma equipe envolvente. Não prende a bola e as jogadas de gol são esparsas, sem pressão. Jadson, Renato Augusto e Petros estão próximos de Guerrero, mas a triangulação não "encaixa".

E na única vez que funcionou no primeiro tempo, o goleiro Weverton fechou o gol, espalmando chute forte de Petros. Já Guerrero escorou um cruzamento de cabeça e o arqueiro do Atlético defendeu. Renato Augusto bateu cruzado, a bola desviou na defesa e foi para escanteio.

Os 45 minutos iniciais limitaram-se a essas três chances de gol criadas pelo time de Mano Menezes porque o Corinthians, de fato, não conseguia encontrar espaço no meio de campo. O Atlético não jogou na retranca. Encurtou os espaços. A distância dos zagueiros ao atacante Ederson não passava de 40 metros - visíveis graças a marcação das jardas do gramado do estádio do Canindé (a Portuguesa tem um time de futebol americano).

Esta foi a tática do time do estreante Leandro Ávila, ex-volante que agora é técnico interino - nesta quarta, aos 43 anos, ele comandou a equipe de Série A pela primeira vez. A ideia dele só dava certo quando o time conseguia roubar a bola e sair na velocidade.

Parte da torcida do Corinthians, as organizadas, protestou no intervalo e os jogadores desceram para os vestiários pressionados. Pediram raça, mas claro que não é isto que falta. Há vontade de sobra, às vezes até demais. Um atacante como Guerrero não pode dividir e brigar com os zagueiros todas as bolas que recebe.

No segundo tempo, Mano Menezes sacou Renato Augusto e colocou Romarinho, em uma tentativa de romper as linhas defensivas do Atlético. Deu certo. O Corinthians ao menos ganhou velocidade e um pouco de agressividade. Guerrero foi derrubado por Cleberson e o árbitro Marcelo de Lima Henrique marcou pênalti. Jadson cobrou bem e abriu o placar aos 14 minutos do segundo tempo.

O que se viu depois disso, principalmente depois na metade do segundo tempo, foi um Atlético que buscou o empate e alcançou seu objetivo.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 x 1 ATLÉTICO-PR

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Gil, Cleber e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros (Luciano), Renato Augusto (Romarinho) e Jadson (Danilo); Guerrero. Técnico: Mano Menezes.

ATLÉTICO-PR - Weverton; Sueliton, Cleberson, Léo Pereira e Natanael; Deivid, Paulinho Dias (Nathan), Otávio, Marcos Guilherme e Bady (Bruno Mendes); Éderson (Douglas). Técnico: Leandro Ávila (interino).

GOLS - Jadson (pênalti), aos 14, e Douglas, aos 40 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Jadson (Corinthians); Otávio, Cleberson, Sueliton, Marcos Guilherme e Natanael (Atlético-PR).

ÁRBITRO - Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ).

RENDA - R$ 383.542,50.

PÚBLICO - 13.137 pagantes.

LOCAL - Estádio do Canindé, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.