Corinthians busca a reabilitação

Há dois jogos sem vencer no Torneio Rio São Paulo - um empate e uma derrota -, o Corinthians tenta a reabilitação diante do América, neste sábado, às 16 horas, no Rio. A equipe paulista ainda está longe de render o que o técnico Carlos Alberto Parreira espera, mas ele exige uma vitória sobre o lanterna da competição."Não podemos nos distanciar dos primeiros lugares, porque se trata de uma competição curta", avisou Parreira, que poderá com a volta de Dida, Luizão e Kléber. Os três jogadores se apresentaram nesta sexta-feira ao técnico no Rio, depois de jogarem o amistoso da seleção brasileira contra a Arábia Saudita, quarta-feira, em Riad. Dida entra no lugar de Doni, que ficou abatido com a falha no segundo gol do River, quarta-feira, em Teresina, pela Copa do Brasil.A escalação de Luizão poderá dar nova força ao ataque do Corinthians, embora o jogador ainda esteja lutando para entrar em forma. Para Parreira, o atleta só vai recupera a condição técnica e física se for mesmo mantido na equipe. "Além disso é um jogador experiente, que sabe se colocar na área", explicou o treinador.Quanto a Kléber, Parreira considera também importante a volta do jogador ao time. Na opinião do treinador, o lateral forma com Ricardinho e Gil o ponto forte do Corinthians atualmente: o setor esquerdo.O zagueiro Fábio Luciano deverá ser mantido na equipe, no lugar de Batata. "É a chance que eu estava pedindo para começar uma nova fase no Corinthians", disse o jogador, que no ano passado foi emprestado ao Internacional. Ele teve a oportunidade de trabalhar com Parreira no clube gaúcho.Após o treino desta sexta-feira nas Laranjeiras, no Rio, Parreira revelou que tem uma dúvida entre o meia Fabinho e o atacante Deivid para definir a equipe titular.Bastidores - Enquanto o time tenta a redenção no Rio-São Paulo, nos bastidores do Parque São Jorge cresce a expectativa de que a Hicks Muse, patrocinadora corintiana, estaria enfrentando problemas financeiros e poderia romper o contrato com o Corinthians. A TV a Cabo PSN, com sede em Miami, e administrada pela Hicks Muse, teve sua falência decretada na quarta-feira. A empresa norte-americana deverá rever seus gastos com o futebol, e não pode garantir por quanto tempo manterá seus contratos com os clubes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.