Corinthians busca maneiras para ficar com Herrera e Morais

Cada um deles tem preço estipulado em US$ 3 milhões; na cotação atual, é preciso desembolsar R$ 5,5 milhões

Marcel Rizzo - Jornal da Tarde,

18 de setembro de 2008 | 01h24

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, já revelou que pretende contratar em definitivo para a próxima temporada dois dos principais jogadores do atual elenco corintiano, que estão emprestados. O problema é que o atacante Herrera e o meia Morais custam caro, ainda mais para um clube com dívida assumida de R$ 93 milhões.Veja também: Apesar da proximidade do acesso, Mano quer atenção total Dê seu palpite no Bolão Vip do LimãoCada um deles tem o preço estipulado em US$ 3 milhões. Na cotação atual, com o aumento do dólar por conta da crise do mercado internacional, é preciso desembolsar R$ 5,5 milhões por cabeça. São R$ 500 mil a mais do que há dez dias, quando Andrés Sanchez disse que contrataria Morais.O Corinthians não tem esse dinheiro, certo? "Não posso revelar o orçamento do futebol. Mas você sabe a resposta", disse o vice-presidente financeiro do clube, Raul Corrêa e Silva. E a resposta para essa pergunta é "não". O clube divulgou um lucro de R$ 14 milhões no primeiro semestre de 2008, mas precisou de empréstimos para chegar a isso. Só de um banco foram R$ 12 milhões.Mas, para ficar com os dois jogadores, o departamento de futebol do Corinthians espera negociar os valores, principalmente no caso de Herrera - a diretoria já avisou ao Gimnasia de La Plata (ARG), que tem o argentino vinculado por contrato, que não pagará os US$ 3 milhões. E os corintianos também tentam arrumar parceiros que ajudem a bancar os negócios.Dos 28 jogadores contratados pelo Corinthians nesta temporada, dez foram adquiridos com auxílio externo. Seja comprando parte dos direitos federativos, caso do empresário Juan Figer com o atacante Acosta, seja emprestando dinheiro ao clube, como fez o empresário Carlos Leite, que ajudou a contratar Wellington Saci e Eduardo Ramos.Andrés Sanchez busca parceiros para tentar as contratações. Carlos Leite, que também trabalha com o técnico Mano Menezes, foi um dos procurados. A repercussão negativa do fato de ele fazer negócios com o clube e ter o treinador como cliente, porém, deverá inviabilizar qualquer transação.O alvo, então, são empresas que se especializaram em adquirir parte dos direitos federativos de jogadores. O Grupo Sonda já tem participação em três atletas do clube - Dentinho, André Santos e Renato. A Traffic tem parte dos direitos de Elias e a Energy Sports, de Diogo. Todas serão procuradas pela diretoria corintiana.Os dirigentes corintianos acreditam que Morais é um bom investimento. Ele é jovem (23 anos) e tem mercado internacional (é com a venda para fora do País que essas empresas recuperam o dinheiro investido). Herrera é um caso um pouco mais problemático. Não pela idade - o argentino tem 25 anos, mas porque ele já teve passagem pela Europa (no Real Sociedad, da Espanha) e não foi bem, voltando desvalorizado à Argentina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.