Corinthians busca vaga sem Luizão

O Corinthians está abatido pelo o que aconteceu com Luizão, mesmo assim os jogadores prometem se superar diante do Gioânia, amanhã, às 20 horas, no Pacaembu, pela Copa do Brasil. A equipe paulista, que venceu o primeiro jogo, há uma semana em Goiânia, por 1 a 0, depende do empate para obter a classificação para as oitavas-de-final da competição."Estamos sofrendo com o Luizão", disse Marcelinho, que conversou hoje com o companheiro. "É o momento de o time crescer ainda mais e lutar pelas vitórias, jogar também por ele." Marcelinho pede muito força ao time e não dar oportunidade para surpresas. O meia até lembrou do que ocorreu na Copa do Brasil de 1999, quando o Corinthians quase foi desclassificado pelo Treze de Campina Grande, que depois de dois empates por 2 a 2, o time paulista só conseguiu a classificação na decisão por pênaltis. "Temos de manter a ascensão do time, que já ganhou sete partidas consecutivas", disse Marcelinho.Além do meia, outros jogadores como Ricardinho, André Luís e Rogério demostraram tristeza pelo o que aconteceu com Luizão. "É claro que todo mundo ficou abatido, mas coisas que podem acontecer no futebol. São os riscos que sofremos e temos agora de de dar segmento nesta temporada sem ele. Não podemos nos abater", disse Ricardinho.Wanderley Luxemburgo também quer a equipe otimista. Hoje à tarde, ele teve uma reunião de meia hora com os atletas antes do treino, justamente para evitar que o time se acomode em campo. Depois, o treinador comandou um coletivo para acertar os detalhes finais do esquema para a partida. Luxemburgo aposta na nova dupla de atacantes Éwerthon e Gil. Paulo Nunes deverá ser outra opção do técnico para enfrentar o Goiânia. "Sempre disse Copa do Brasil é uma competição perigosa, que se deve diminuir a margem de erros. É uma campeonato que se entra favorito e pode sair declassificado", disse o treinador, que quer o time muito mais vibrante e atento nas jogadas de marcação do que ocorreu na vitória contra a Portuguesa por 5 a 2. "O time tem aproveitado a maioria das jogadas de ataque, mas é preciso saber dar combate, e temos de imaginar que o Goiânia não jogar novamente na retranca, como ocorreu na partida anterior", afirmou Luxemburgo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.