Corinthians cede empate ao Atlético-MG

?Não vamos tentar, vamos ganhar o jogo?, afirmou, confiante, o técnico Márcio Bittencourt antes de o jogo começar. A frase presunçosa, não confirmou-se no campo. O Corinthians realizou uma boa apresentação no Pacaembu, mas acabou castigado com tantos gols desperdiçados e não passou de empate com o Atlético-MG, por 1 a 1. Com o resultado, o time paulista perdeu a chance de voltar à segunda posição do Campeonato Brasileiro. Está em terceiro, três pontos atrás do líder Internacional.A terceira vitória consecutiva no Nacional parecia vir fácil e, até, por goleada, tamanha a desproporção do futebol apresentado no primeiro tempo. Limitado à defesa, o Atlético-MG quase não ameaçou o gol defendido por Marcelo. Já do outro lado, não fosse o camisa 1 Bruno ? antes de a partida começar, rezou ajoelhado e pediu proteção aos céus ? , Roger, Carlos Alberto e Gustavo Nery deixariam o campo consagrados. Traduzindo: o domínio foi total, mesmo com desfalque do argentino Carlitos Tevez, artilheiro do time na temporada com 20 gols.O Corinthians mandou no jogo desde o minuto inicial. Só na primeira fase poderia, sem exagero, sair com vantagem de três, quatro gols. Foram várias oportunidades desperdiçadas, a maioria delas, começadas em jogadas do maestro Roger. Gustavo Nery, após passe de Carlos Alberto, conseguiu, na pequena área, errar o chute. Nilmar, de calcanhar, balançou as redes. O juiz anulou, marcando impedimento. O bombardeio transformou-se em vantagem numérica aos 34 minutos, em cabeçada de Hugo: 1 a 0.Com o limitado volante Amaral ? passagens por Palmeiras, Corinthians e Vasco ? atuando como armador, o time mineiro deu apenas um chute a gol na primeira etapa e mostrava bem porque está na zona de rebaixamento. ?O resultado é normal, nosso time não criou, jogou muito mau?, reconheceu, no intervalo, o goleiro Bruno. ?Nosso time está bem, mas vamos voltar com tudo para tentar fazer outro gol e garantir a vitória?, recomendava Hugo.Mas havia mais 45 minutos de jogo. E neles, o Corinthians caiu de rendimento. Mesmo assim , teve as melhores chances. Novamente faltou pontaria. E no fim, quando Márcio Bittencourt colocava defensores para garantir o 1 a 0, Marques estragou a festa: 1 a 1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.